Dani Alves: “Não contrataram uma estrela, mas um trabalhador que vem para sonhar”

Lateral brasileiro garante que dormirá como um 'anjinho' na véspera do jogo

Alves, à direita, no aeroporto de Cardiff.
Alves, à direita, no aeroporto de Cardiff.UEFA (REUTERS)

O barulho do helicóptero que sobrevoava o Millennium Stadium, palco da final da Champions League 2017, perturbava tanto a entrevista coletiva de Allegri, Buffon e Dani Alves que o goleiro quase não ouvia as perguntas dos jornalistas que lotaram a sala de imprensa. Os assessores de comunicação da UEFA avisaram que os jogadores responderiam primeiro, depois o técnico. Um repórter italiano segurou o microfone e se dirigiu a Allegri. Dani Alves levantou a mão para repreendê-lo com cara de “esse sujeito não entendeu nada”.

Mais informações
OPINIÃO | "Ódio alheio: o combustível do Real Madrid"
O futebol antes era o esporte do povo

O lateral brasileiro, homem fundamental da Juventus nas quartas e nas semifinais da Champions League, afirmou que dorme como um anjinho na véspera das partidas importantes. E recordou o que disse no dia em que chegou a Turim: “Não contrataram uma estrela, e sim um trabalhador que vem para sonhar.” Disse também que deseja vencer uma Champions antes que Buffon se aposente.

Os jornalistas então lembraram que, dos 42 duelos contra o Real Madrid, Dani Alves ganhou 22. “Esse é um dado para intimidá-los, para que não tenham tanto favoritismo”, brincou. “Mas não é Dani Alves contra o Real Madrid. É a Juve contra o Real. Eles ganharam muitos jogos. O último que venceram contra a Juve foi com um gol em impedimento, me disseram... Vamos forçar um deslize do Real para mudar essa história”, acrescentou o brasileiro, voltando a fazer piada com a possibilidade de que Agnelli dê uma Ferrari de presente aos jogadores em caso de vitória. “A única motivação extra é que o presidente nos prometeu um cavalinho vermelho.”

Os jornalistas perguntaram a Buffon se ele sonhou com Benzema e Cristiano Ronaldo. “Não", respondeu o capitão da Juve. "Há tantos jogadores do Real Madrid que podem nos causar problemas, além deles dois, que uma noite não seria suficiente para sonhar com todos eles."

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS