_
_
_
_
_

Michel Temer nega ter pedido pagamento para garantir silêncio de Eduardo Cunha

Deputado da Rede pede impeachment com base em reportagem de 'O Globo' sobre delação da JBS

O deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ), que pediu o impeachment do presidente Michel Temer.
O deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ), que pediu o impeachment do presidente Michel Temer.Cleia Viana (Câmara dos Deputados)
Mais informações
Depoimento alimenta críticas a Moro e sugere rota de condenação de Lula
Um ano de Temer, guinada conservadora que se apoia no alinhamento do Congresso

O presidente Michel Temer negou na noite desta quarta-feira que tenha solicitado pagamentos para garantir o silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha, preso desde outubro. A informação foi divulgada por reportagem do jornal O Globo sobre a tentativa dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, de fechar uma delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato.

O deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ) protocolou um pedido de impeachment de Temer com base na reportagem de O Globo. O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), por sua vez, cobrou a renúncia de Temer e pediu antecipação de eleições.

Leia a íntegra da nota divulgada pelo Palácio do Planalto:

"O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar.

O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República.

O presidente defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados."

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_