Imagem de Trump como gestor é abalada

Índice de confiança econômica cai após fracasso da reforma na saúde, embora continue mais alto do que antes das eleições

Donald Trump, na última quinta-feira, no Salão Oval
Donald Trump, na última quinta-feira, no Salão OvalChip Somodevilla (EFE)

Donald Trump é o presidente mais impopular dos Estados Unidos em início de mandato desde que se realiza esse tipo de pesquisa. Em meio a essa nota ruim (35% de aprovação), houve uma exceção: o que mais se valoriza no republicano é a sua capacidade como gestor econômico. A imagem de Trump como empresário bem-sucedido que poderia transferir para a política o seu talento empresarial teve forte eco na opinião pública. O presidente atribui a isso os anúncios de investimentos por parte de empresas automobilísticas nos EUA, a alta nas bolsas, a queda do desemprego etc. “Trabalho, trabalho, trabalho”, costuma escrever no Twitter.

Mais informações

Mas alguma coisa começou a mudar: na quarta semana de março, a confiança dos norte-americanos na economia registrou o seu nível mais baixo desde a vitória de Trump nas eleições presidenciais de novembro passado. A taxa continua sendo positiva (+5) e bem acima do que ocorria antes das eleições, mas caiu seis pontos em apenas uma semana, segundo o Índice de Confiança Econômica do Instituto Gallup.

A piora do ambiente econômico ocorreu na mesma semana em que o Dow Jones registrou o seu pior desempenho desde setembro. No entanto, o principal índice da bolsa de Wall Street ainda está acima de 20.000 pontos, nível que ultrapassou pela primeira vez, no final de janeiro, desde a sua criação, há 120 anos, surfando na onda de euforia pós-eleição.

Os investidores confiam nas promessas de Trump de desregulamentação financeira, reduções fiscais e investimento em infraestrutura; e apostam em uma moderação em sua política protecionista. Mas o fracasso do presidente em sua tentativa de reformar o sistema de saúde, em que não obteve os votos necessários devido a uma guerra declarada no seio de seu próprio partido, colocou em questão a capacidade do magnata do setor imobiliário de implantar a sua agenda na Casa Branca. As bolsas e as expectativas econômicas caíram.

A confiança econômica diminuiu sobretudo entre os eleitores republicanos. Na última semana, segundo o índice da Gallup, ela passou de +52 para +42, o que continua a ser um patamar elevado. Entre os eleitores independentes, ela caiu de +6 para -1. E entre os democratas, de -20 para -18. O índice Gallup oscila em uma escala que vai de -100 a +100, registrando a avaliação que as pessoas fazem da situação econômica e se esta está piorando ou melhorando.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: