Como não ser babaca no Carnaval. Recife dá as dicas

Campanha da prefeitura reforça as regras que deveriam ser óbvias contra o assédio feminino

A Prefeitura de Recife publicou em sua página no Facebook a segunda edição (para os que ainda não entenderam) do Pequeno manual de como não ser um babaca no carnaval.

"Vamo desenhar de novo o manual?! Pra quem ainda não entendeu, hein? Brinque o Carnaval com respeito", diz o texto, seguido de diversas dicas de como não assediar as mulheres no carnaval.

Segundo a Prefeitura, a Central da Mulher estará na Rua do Observatório, no centro da cidade, oferecendo orientação e atendimentos a mulheres que estão em situação de violência.

No Recife, também foi disponibilizado o serviço Liga, Mulher, o disque orientação da cidade: 0800 281 0107. Mas em qualquer lugar do Brasil é possível ligar para o número 180, que é a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, e fazer uma denúncia de assédio e violência.

A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência é um atendimento gratuito, confidencial - ou seja, preserva o anonimato - e que presta assistência não só durante o carnaval desde 2005.

Uma pesquisa do ano passado do Instituto Data Popular, apontou que 61% dos homens afirmaram que uma mulher solteira que vai pular carnaval não pode reclamar de ser cantada, e 49% disseram que bloco de Carnaval não é lugar para mulher “direita”.

Ainda, que 59% acreditam que elas gostam de ser cantadas e 49%, de ser chamadas de gostosa.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: