Campeonato Espanhol

Sevilla, a ambição do candidato inesperado

Clube andaluz, com os melhores números de sua história, entra na briga pelo título da Liga apoiado em seu tradicional acerto nas contratações

Jogadores do Sevilla comemoram o gol de Jovetic contra o Real Madrid.
Jogadores do Sevilla comemoram o gol de Jovetic contra o Real Madrid.PACO PUENTES (EL PAIS)

“Não esperávamos estar tão no topo nessas alturas”, reconheceu no domingo Jorge Sampaoli, treinador de um Sevilla que vive momentos históricos. Após sua vitória por 2 a 1 contra o Real Madrid, pelo Campeonato Espanhol, a equipe andaluza está a um ponto do líder e iguala a melhor pontuação de sua história ao final do primeiro turno, os 39 pontos conquistados pela equipe dirigida por Unai Emery em 2015. E ainda falta uma partida, no próximo domingo, em Pamplona, contra o Osasuna. A euforia se espalhou em um grupo que acredita na ideia expressada por seu técnico e que fundamenta suas magnificas credenciais nas contribuições de um plantel de amplitude e qualidade projetadas por Monchi, seu diretor esportivo. O primeiro conceito é observado, por exemplo, em como Nasri e Ben Yedder correram ao meio de campo com a bola após o gol de empate contra o Real Madrid, feito por Sergio Ramos, contra. O ponto contra o líder não bastava ao Sevilla.

MAIS INFORMAÇÕES

Essa fé na ideia do técnico se junta a um elenco com uma evidente quantidade de virtudes. Antes do final do segundo turno, é possível deduzir que Monchi acertou novamente no planejamento do Sevilla. Existe um dado que expressa muito bem a amplitude do plantel. O Sevilla é a equipe do Espanhol que mais tem gols marcados por jogadores que vêm do banco de reservas, 10 no total.

A figura de Monchi se agiganta novamente, o que sugere a possibilidade de se realizar uma nova contratação após as bem-sucedidas incorporações, até o momento, de Lenglet e Jovetic. “Jovetic fez um gol de jogador diferenciado”, disse Sampaoli sobre o montenegrino, que marcou um dos gols no Real Madrid em apenas uma hora de jogo com o Sevilla. Monchi continua oferecendo um grande rendimento ao clube justamente quando pensa sobre sua despedida após 16 anos no cargo. Sua saída pode ocorrer ao final da temporada.

A essa altura, parece obrigatório analisar se o Sevilla é um candidato ao título. “Somente o tempo dirá isso”, afirmou o próprio Sampaoli em plena comemoração após derrotar o Real Madrid. “Se crescemos tanto nos últimos anos é por sermos ambiciosos. O título do Sevilla no Espanhol depende da quantidade de pontos necessários. Se forem 90 pontos, não acredito, pois é complicado fazer com que o Sevilla fique 20 partidas seguidas sem derrota”, afirmou o próprio Monchi ao final da partida à rádio Cadena Cope. Para Monchi já não é um tabu falar sobre a possibilidade de se ganhar o título. O Atlético de Madrid, em 2014, conquistou o Espanhol com 90 pontos. É preciso retroceder a 2007 para que o Sevilla encontre possibilidades de se conseguir o título, quando o Real Madrid venceu com 77 pontos. O Sevilla, se ganhar em Pamplona, chegará aos 42 pontos ao final do primeiro turno. A projeção em 38 partidas seria de 84 pontos. Portanto, o clube andaluz precisa de um Espanhol no qual Real Madrid e Barcelona baixem seu rendimento.

O exemplo do Valencia

Além do Atlético, a outra equipe que arrebatou um Campeonato Espanhol ao Real Madrid e Barcelona nesse século é o Valencia. E o fez em 2002 e 2004, nessa última temporada com 77 pontos. Um dos melhores jogadores daquela equipe dirigida por Rafa Benítez era Rubén Baraja. “Eu vejo o Sevilla com capacidade para brigar pelo Espanhol. Existem muitas razões para isso e um trabalho de longa duração. É uma equipe muito bem treinada por Sampaoli, existe uma estrutura de clube com pessoas que trabalham muito bem como Monchi e uma enorme integração com sua torcida. O fato do Sevilla brigar pelo título não é um mero acaso”, afirma o atual treinador do Rayo Vallecano. “Se posso dizer alguma coisa é que ser o azarão foi uma boa para o Valencia surpreender o Real Madrid e o Barcelona. Vimos isso com o Atlético de Madrid e nosso Valencia. De vez em quando existe um Campeonato Espanhol no qual outra equipe aparece, mesmo que para mim os dois grandes continuem sendo os principais favoritos”, diz Baraja.

No segundo turno do Espanhol, o Sevilla jogará boa parte de suas chances no Campeonato em suas visitas ao Camp Nou, ao Vicente Calderón e ao Santiago Bernabéu.

Arquivado Em: