Seleccione Edição
Login

A emocionante dedicatória de Viola Davis a seu pai, vítima do racismo nos 50

Ela recebeu o Globo de Ouro de de melhor atriz coadjuvante por seu trabalho em 'Fences'

Discurso de Viola Davis (Legendas em espanhol).

Além do forte discurso de Meryl Streep contra Donald Trump, também emocionaram as palavras da atriz Viola Davis durante a cerimônia do Globo de Ouro 2017. A norte-americana recebeu, no domingo, o prêmio de melhor atriz coadjuvante por seu trabalho em Fences, de Denzel Washington. O filme relata a discriminação racial vivida nos Estados Unidos dos anos 1950 por meio da história de uma família chefiada por Troy, um ex-jogador de beisebol que se vê obrigado a trabalhar como lixeiro. Davis dedicou o prêmio a seu pai, a quem se referiu como “o Troy original, um tratador de cavalos que só aprendeu a ler aos 15 anos de idade”.

O discurso, postado no perfil do Twitter do Globo de Ouro, teve 7.200 curtidas e 5.000 compartilhamentos nas primeiras sete horas de publicação.

Viola Davis (Dúvida, Histórias Cruzadas, How to Get Away with Murder), hoje uma das atrizes mais poderosas de Hollywood, mencionou em diversas ocasiões que cresceu na “pobreza abjeta”. Seu pai, Dan Davis, criou seis filhos em Rhode Island junto com a esposa Mary. Ele era tratador de cavalos em um jóquei club e ela, empregada doméstica.

“Nasceu em 1936, estudou até a quinta série e só aprendeu a ler aos 15, mas sabem de uma coisa? Tinha uma história que merecia ser contada e August Wilson contou”, disse a atriz emocionada ao fim de seu agradecimento, com a estatueta nas mãos.

Davis se referia ao autor da peça de teatro original que inspirou Fences e ganhou o prêmio Pulitzer na categoria drama em 1987. Denzel Washington já contava com Viola Davis quando levou o texto aos palcos em 2010. Ambos receberam o prêmio Tony de teatro por suas atuações nessa obra.

Hollywood tenta adaptar a peça para o cinema desde que ela foi publicada há 30 anos, mas quem conseguiu transformá-la em filme foi a equipe artística que reestreou o texto na Broadway.

Davis lembrou em seu discurso como é difícil levar uma peça teatral à indústria do cinema norte-americano porque esse tipo de projeto “não é um ‘fazedor de dinheiro’, mas de arte e emoção”, disse a coprotagonista do filme.

O primeiro Globo de Ouro de Davis chega em sua quinta indicação. A atriz também conta com duas candidaturas ao Oscar. Em setembro de 2015, tornou-se a primeira mulher negra a receber um prêmio Emmy como melhor atriz em drama.

“A única coisa que diferencia as mulheres de cor de qualquer outra pessoa são as oportunidades. Não dá para ganhar um Emmy com papéis que simplesmente não existem”, disse durante o discurso que foi o germe da polêmica sobre a possível discriminação racial no Oscar, meses depois.

“Roubei para comer, entrei em lixeiras gigantes cheias de bichos para procurar comida. Não luto contra a fome para salvar ao mundo, mas salvar a mim mesma”, disse Davis durante um almoço organizado pela revista Variety em 2014 em homenagem a seu ativismo.

MAIS INFORMAÇÕES