Que as práticas higienistas fiquem no passado, prefeito Doria

Padre Julio Lancellotti, da Pastoral do Povo de Rua, pede à nova gestão que dê atenção especial aos moradores de rua de São Paulo

Moradores de rua em frente à igreja da Sé, em São Paulo.
Moradores de rua em frente à igreja da Sé, em São Paulo.NACHO DOCE / reuters

Mais informações

Senhor prefeito João Doria,

Esperamos que a gestão da cidade que deve atender a todos tenha um espaço especial de sua atenção para os mais pobres, esquecidos e indesejáveis da cidade que os torna refugiados urbanos. A população de rua necessita atenção especial pois neles se concentra todas as múltiplas necessidades: moradia, saúde, trabalho, respeito e dignidade.

A beleza da cidade é medida por sua capacidade de atender e garantir a vida dos mais fracos e indefesos.

Esperamos que as práticas higienistas sejam coisas do passado e nunca mais voltem a ser praticadas aqui.

Que a vida dos pobres oriente teus passos e ouvi-los seja a prática de cada dia.

Padre Julio Lancellotti, da Pastoral do Povo de Rua de São Paulo.

No EL PAÍS, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por 1 euro no primeiro mês e 10 euros a partir do mês seguinte, sem compromisso de permanência.

Inscreva-se

Mais informações