Estado Islâmico reconquista Palmira oito meses depois

Governo de Damasco confirma a retirada de suas tropas e a evacuação de 80% da população

Civis passam por um corpo em Palmira, no início de dezembro.
Civis passam por um corpo em Palmira, no início de dezembro. Manu Brabo / AP

Os terroristas dos Estado Islâmico reconquistaram a histórica cidade de Palmira, oito meses depois de terem sido expulsos do histórico enclave sírio, famoso por suas ruínas greco-romanas. Apesar dos intensos bombardeios aéreos que atingiram os combatentes jihadistas, estes conseguiram retomar “totalmente” o controle da “cidade de Palmira, seu aeroporto, sua área arqueológica e sua cidadela” histórica, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos. O Governo de Damasco confirmou que suas tropas se retiraram da cidade e que evacuaram 80% de seus habitantes, informou a Reuters.

Mais informações

Os soldados sírios se retiraram na segunda-feira da cidade diante do avanço dos combatentes do EI, segundo o Observatório, que indicou que nos combates morreram pelo menos 120 membros das tropas leais ao Governo de Damasco. Os terroristas emitiram um comunicado pela Internet no qual anunciaram a conquista de Palmira, que segundo os jihadistas “volta a estar sob a sharia”, a lei islâmica.

A agência oficial de notícias síria (SANA) informou que o EI entrou em Palmira depois de violentos combates com as forças governamentais no final do domingo, depois de negar a informação ao longo do dia. A agência afirmou que as forças armadas sírias “defenderam a cidade corajosamente quando um grande número de terroristas que superava os 4.000 atacou de várias direções”.

As forças governamentais sírias evacuaram 80% da população de Tadmur, vizinha à antiga cidade de Palmira, de acordo com informações do governador da província de Homs, Talal Barazi, através de um comunicado: “80% dos habitantes de Palmira foram evacuados, estamos preocupados pelos que continuam lá”, diz o comunicado divulgado pela agência RIA Novosti. A população recente da cidade chegava a 30.000 pessoas.

Palmira, um dos seis lugares da Síria declarados Patrimônio Mundial pela UNESCO, caiu em poder do Estado Islâmico em maio de 2015. Em 27 de março de 2016, entretanto, o exército sírio, com apoio de grupos locais, reconquistou o enclave da província de Homs.

Além da importância de seu patrimônio cultural – grande parte do qual foi destruído pelo Exército Islâmico durante os dez meses em que controlou a região antes de sua expulsão em março –, Palmira é um ponto estratégico de grande importância no centro da Síria por sua proximidade da base aérea T4, conhecida como A Fortaleza, a maior do Exército sírio e fundamental na operação de apoio das forças russas ao regime de Damasco.

O mais visto em ...Top 50