Advogado ligado ao esquema da Petrobras é detido em Madri

Guarda Civil prende um dos investigados pelo caso de corrupção da empresa

PAULO WHITAKER (REUTERS)

A Guarda Civil deteve em um hotel no centro de Madri um advogado ligado ao esquema de corrupção da Lava Jato, que estava sendo procurado e investigado pelas autoridades do Brasil. Ele é acusado pelos crimes de lavagem de dinheiro, suborno e organização criminosa, informou a polícia de Madri em um comunicado à imprensa.

MAIS INFORMAÇÕES

De acordo com a Guarda Civil, Rodrigo Tacla Duran, de 43 anos, de nacionalidade brasileira e espanhola, chamado de “cérebro financeiro” pela polícia, foi detido em um hotel no centro de Madri após chegar dias antes vindo dos EUA, país em que se escondeu após sua fuga do Brasil. Foi preso em uma investigação feita em conjunto com o Escritório Central Nacional da Interpol na Espanha. Segundo informações de fontes da investigação à agência Efe, o preso comandava o esquema de pagamento de subornos a políticos e empresários brasileiros.

O preso era advogado da Odebrecht e era investigado pela Operação Lava Jato, pela suposta lavagem de dinheiro da Petrobras ao desviar mais de 50 milhões de reais a diversos partidos políticos. Ele fugiu em abril do Brasil aos Estados Unidos e chegou à Espanha poucos dias atrás, de acordo com as informações das fontes à Efe. O preso tem dupla nacionalidade, brasileira e espanhola e foi detido pela equipe de Foragidos da Justiça da Unidade Central Operacional (UCO) da Guarda Civil.

A prisão do suposto cérebro do esquema de corrupção é a primeira detenção feita na Espanha pela Lava Jato, criada para combater a corrupção em instituições no sistema político brasileiro a partir das irregularidades detectadas na Petrobras.

Arquivado Em: