Kim Jong-un

China bloqueia buscas da expressão “Kim, o Gordo” para proteger Kim Jong-un

Os censores bloqueiam as buscas nas redes sociais chinesas para agradar o ditador da Coreia do Norte

Kim Jong-un inspeciona um batalhão.
Kim Jong-un inspeciona um batalhão.

Nem “gordo”, nem “obeso”. Desde que herdou o poder em dezembro de 2011, Kim Jong-un ganhou peso de maneira visível. Embora isso seja um tabu em seu país, no resto do mundo os quilos do líder supremo da Coreia do Norte são alvos constantes de memes e piadas. A vizinha China não era uma exceção. Até agora. Os censores do ciberespaço chinês, o mais transitado do mundo, bloquearam o termo “Jin San Pang” (Kim Terceiro, o Gordo) usado pelos internautas desse país para batizá-lo popularmente.

Mais informações

Um teste no Baidu, o principal buscador chinês, não leva a nenhum resultado. A Weibo, uma das principais redes sociais chinesas, tampouco reconhece o termo.

Segundo o jornal Hong Kong Apple Daily, o sumiço do apelido como num passe de mágica deve-se à pressão do governo norte-coreano. Embora a Internet esteja bloqueada oficialmente na Coreia do Norte, onde os cidadãos comuns só podem acessar uma intranet muito limitada, o regime andava irritado com as alusões dos vizinhos, que considerava pouco respeitosas.

Em parte, talvez, para facilitar uma melhora nas relações entre os dois países, muito frias durante o mandato do jovem Kim, e em parte para evitar que o tratamento irreverente dos internautas se estenda aos próprios líderes, a China cedeu. “O Governo chinês está comprometido a criar um clima saudável e civilizado de expressão das opiniões”, declarou o porta-voz Ministério das Relações Exteriores de Pequim, Geng Shuang. “Não aprovamos as referências a líderes de nenhum país através de chacotas ou alusões ofensivas”, afirmou Shuang, lembrando, porém, que as informações sobre a censura ao apelido não procedem.

Segundo os serviços secretos sul-coreanos, Kim – o terceiro de uma dinastia, precedido no poder por seu pai, Kim Jong-il, e seu avô, Kim Il-sung – engordou 40 quilos em quatro anos, passando de 90 para 130 quilos.

O excesso de peso poderia explicar seu desaparecimento da vida pública durante os 40 dias finais de 2014 e sua reaparição caminhando com uma bengala.

De acordo com analistas, o uso da bengala se deveria a um ataque de gota – doença que também atingiu seu pai e seu avô, tendo como possível causa o consumo excessivo de carne vermelha – ou a uma lesão no tornozelo em virtude do sobrepeso. O regime norte-coreano informou que seu líder supremo tinha sofrido de problemas de saúde por percorrer intensamente fábricas de todo o país.

Embora o regime da Coreia do Norte receba constantes críticas do exterior por suas violações dos direitos humanos e seu programa nuclear, os comentários sobre a vida pessoal e o aspecto do líder suscitam especial irritação.

Em maio passado, o correspondente da rede britânica BBC Rupert Wingfield-Hayes foi expulso do país. Um dos possíveis motivos é que o jornalista havia descrito Kim como “corpulento” numa de suas matérias.

O manto da censura não parece importar os internautas chineses, já experientes na arte de usar jogos de palavras e expressões para driblar os frequentes bloqueios. “Kim Terceiro, o Gordo”(金三胖)agorase transformou em “Kim Terceiro, a Meia-Lua” (金三月半), o que é obtido dividindo-se o ideograma “pang”(胖 ,“gordo“)em seus dois componentes, “yue” (月,lua) e “ban” (半, metade).