Fotógrafo que retratou afegã na ‘National Geographic’ se compromete a ajudá-la

Steve McCurry disse que "fará todo o possível" após prisão de Sharbat Gula no Paquistão

Steve McCurry posa ao lado das fotos de Sharbat Gula em uma exposição em Hamburgo em 2013.
Steve McCurry posa ao lado das fotos de Sharbat Gula em uma exposição em Hamburgo em 2013.Getty

Steve McCurry, o fotógrafo que retratou a menina afegã que foi capa da National Geographic, se comprometeu a ajudá-la ao ficar sabendo de sua prisão no Paquistão por posse ilegal de um documento de identidade desse país, onde vive em um campo de refugiados. “Eu me comprometo a fazer todo o possível para enviá-la apoio legal e econômico para ela e sua família”, escreveu em sua conta no Instagram ao lado da icônica foto de Sharbat Gula. “Condeno duramente essa ação”, acrescentou. “Ela sofreu por toda sua vida e sua prisão é uma enorme violação de seus direitos humanos”.

Mais informações

A prisão de Sharbat Gula se tornou pública na quarta-feira. A refugiada afegã, de 46 anos, não tem nacionalidade paquistanesa e enfrenta acusações com pena de até sete anos de prisão, acusada de obter documentos de identidade paquistaneses para ela e dois supostos filhos após subornar três funcionários. “Ela pode ser expulsa do país”, de acordo com fontes da Agência de Investigação Federal (AIF). A polícia procura também os dois supostos filhos de Gula para prendê-los.

Gula foi fotografada por McCurry em um campo de refugiados na cidade de Peshawar em 1985. Seu rosto envolto em um lenço vermelho e seus poderosos olhos verdes transformaram a imagem da menina em um ícone da fotografia contemporânea. McCurry voltou a fotografar Gula 17 anos depois no Afeganistão e descobriu que a mulher, que tinha então 30 anos, desconhecia sua fama internacional.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete
O mais visto em ...Top 50