Venezuela

Grupo de chavistas invade o Parlamento venezuelano

Centenas de pessoas entraram à força no Palácio Legislativo para impedir uma sessão especial que discutiria um julgamento político contra o presidente Nicolás Maduro

Venezuelanos que apoiam o Governo forçam a entrada no Parlamento, em Caracas.
Venezuelanos que apoiam o Governo forçam a entrada no Parlamento, em Caracas.AP

Grupos chavistas tomaram de assalto a sede do Parlamento venezuelano neste domingo, enquanto ocorria uma sessão especial para discutir um julgamento político contra o presidente Nicolás Maduro. O vice-presidente da Assembleia Nacional, Enrique Márquez, se dirigia ao plenário quando escutou o clamor da multidão tentando entrar na sala de sessões. Imediatamente Capitolio TV, o canal por internet do Parlamento interrompeu a transmissão para cobrir o que estava acontecendo nos jardins do Palácio Federal Legislativo: uma multidão com a iconografia que distingue o chavismo e bandeiras do oficialista Partido Socialista Unido da Venezuela, gritando slogans e destruindo o que encontrava em seu caminho.

Mais informações

Mas foi no salão cerimonial, onde se reunia a antiga Câmara de Senadores, que ocorreram os piores abusos. O vereador opositor do município de Chacao, Manuel Rojas Pérez, informou ao EL PAÍS que as pessoas que entraram bateram nos convidados. Houve uma batalha campal e uma feroz troca de insultos e golpes. Foram jogadas cadeiras dos balcões e várias pessoas terminaram feridas. “Ficamos presos por vários minutos”, disse.

Depois do susto, o prefeito do município Libertador (centro-oeste de Caracas), Jorge Rodríguez, entrou na sede do Legislativo para tentar retirar seus seguidores. Foi visto subindo acima da multidão para persuadi-los a se retirar. Através da Internet, onde se podia acompanhar os incidentes na ausência de uma transmissão ao vivo da televisão aberta, era possível escutar fortes insultos contra o presidente do Parlamento e a promessa de que expulsariam a oposição, que controla esse poder desde janeiro “para devolvê-lo ao povo de Chávez”.

O debate foi retomado uma hora depois com intervenções do parlamentar chavista Elías Jaua e do presidente Henry Ramos Allup.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete
O mais visto em ...Top 50