Gastronomia

O sabor surrealista de Dalí

A editora Taschen reedita, depois de quatro décadas, o livro de receitas ‘Les Dîners de Gala’ A publicação traz pratos opulentos acompanhados de reflexões e ilustrações do artista

Salvador Dali, em uma das fotografias de seu livro de receitas.
Salvador Dali, em uma das fotografias de seu livro de receitas.TASCHEN / FUNDACIÓ GALA-SALVADOR DALÍ

MAIS INFORMAÇÕES

Carne assada com verduras, vitela agridoce e filés marinados poderiam ser as receitas de qualquer livro culinário. Mas, se acrescentamos ao receituário os passos para cozinhar um arbusto de lagostas com ervas vikings, ovos de mil anos, creme de rãs ou uma sobremesa chamada seios de Vênus, os pratos darão uma ideia mais clara da peculiar personalidade do chef. Neste caso, ninguém menos que Salvador Dali. A editora Taschen reedita pela primeira vez o livro de culinária publicado pelo artista em 1973. ‘Les Dîners de Gala’ (Os Jantares de Gala) revela, quatro décadas depois, mais de uma centena de receitas que dão uma ideia dos lendários jantares organizados por Dalí e sua mulher e musa, em que havia desde fantasias até macacos como parte da festa.

Ilustração de Dalí do prato ‘Arbusto de lagostas com ervas vikings’.
Ilustração de Dalí do prato ‘Arbusto de lagostas com ervas vikings’.taschen / Fundació Gala-Salvador Dalí

Um livro que, além de receituário, é também uma mostra de obras de arte, pois os pratos foram ilustrados pelo próprio Salvador Dali (1904-1989), que também aparece em algumas fotos ao lado de mesas opulentas. São 136 receitas acompanhadas de reflexões do artista de Figueres, organizadas em 12 capítulos com títulos como: Les cannibalismes de l’automne (ovos e frutos do mar), Les entre-plats sodomisés (carnes), Les chairs monarchiques (caça e aves) e Les je mange Gala (afrodisíacos).

Ilustração de uma das receitas do Salvador Dali, no livro ‘Les Dîners de Gala’.
Ilustração de uma das receitas do Salvador Dali, no livro ‘Les Dîners de Gala’.taschen / Fundació Gala-Salvador Dalí

“Não é um livro de gastronomia saudável e está muito longe da cozinha minimalista que está na moda hoje em dia. Trata-se do conceito daliniano do comer bem”, conta María Eugenia Mariam, relações públicas da Taschen. “Não são receitas nem para quem está de dieta nem para quem quer comida saudável, como já escreveu Dalí no livro em 1973”. O artista também deixou claro seu desprezo pelos espinafres e sua predileção pelos crustáceos. “Alimentos que após uma única batalha para descascá-los se tornam vulneráveis para a conquista de nosso paladar”, diz o pintor a respeito dos mariscos.

Ilustração de uma das receitas do Salvador Dali, no livro ‘Les Dîners de Gala’.
Ilustração de uma das receitas do Salvador Dali, no livro ‘Les Dîners de Gala’.taschen / Fundació Gala-Salvador Dalí

As receitas até podem ser preparadas em casa, mas, para isso, é imprescindível ter uma despensa bem sortida e muita manha nos fogões, já que incluem especialidades dos melhores chefs de restaurantes estrelados de paris, como Lasserre, La Tour d’Argent, Maxim’s e Le Train Bleu. Além disso, o corajoso que conseguir acertar o ponto de cocção dos alimentos ainda deverá enfrentar o desafio da apresentação.

Originais de grande valor

A Taschen tomou a decisão de resgatar essas propostas sensuais, imaginativas e um tanto exóticas por saber que existem poucos originais dos Dîners de Gala e que hoje valem milhares de euros. Assim, compraram os direitos para torná-lo acessível (49,99 euros). “A mandíbula é nossa melhor ferramenta para nos aferrarmos ao conhecimento filosófico”, reflete Dalí no livro. O banquete com nuances surrealistas, de 320 páginas, chegou às prateleiras reeditado em italiano, alemão, inglês, francês e espanhol. Um exemplar destinado não só aos fãs da boa comida, mas também aos amantes da arte, já que as gravuras de algumas dessas ilustrações estão hoje penduradas em uma sala de exposições do Panamá.

Salvador Dali, à direita, em uma fotografia do livro ‘Les Dîners de Gala’.
Salvador Dali, à direita, em uma fotografia do livro ‘Les Dîners de Gala’.taschen / Fundació Gala-Salvador Dalí

Arquivado Em: