Eliminatórias da Copa do Mundo

Luis Suárez manda na América

Atacante do Barça se converte no máximo goleador das eliminatórias sul-americanas (19) junto a Crespo

Suárez antes de fazer o gol contra a Colômbia.
Suárez antes de fazer o gol contra a Colômbia.Fernando Vergara (AP)

Luis Suárez é o dono do gol no Uruguai; e agora também na América. O atacante do Barcelona, maior goleador da história da Celeste (fez 47 ante 36 de Diego Forlán, em segundo lugar), passou a ser o maior artilheiro das eliminatórias sul-americanas, ao lado do argentino Hernán Crespo, depois de seu golaço contra a Colômbia, no empate em 2-2 com o Uruguai. “Eu só tinha aquele espaçozinho... Chutei forte e, por sorte, a bola entrou”, disse Suárez, ao lembrar como foi o gol contra os colombianos.

O jogador chegou aos 19 gols em 41 jogos, enquanto Crespo obteve a mesma marca em 33 partidas. A lista dos cinco maiores se completa com Marcelo Salas (Chile, 18), Iván Zamorano (Chile, 17) e Lionel Messi (Argentina, 16).

Argentina perde para o Paraguai e está na repescagem

A Argentina perdeu contra o Paraguai no estádio Mario Alberto Kempes, em Córdoba, graças a um histórico gol de Derlis Gonzáles, e fica classificada na quinta posição, na zona de repescagem, depois de dez jogos disputados na classificação para a Copa do Mundo da Rússia 2018. A Albiceleste não joga uma partida de repescagem desde 1993, quando jogaram contra a Austrália para buscar a classificação à Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos.

A perda do pênalti de Kun Agüero conndenou os argentinos, que não têm um calendário fácil. Vão jogar no Brasil, Uruguai, Bolívia e Equador e receber em casa a Colômbia, Chile, Venezuela e Peru. O próximo jogo será contra o líder, Brasil, no dia 10 de novembro.

O Uruguai se rende a Luis Suárez, seu jogador-franquia, que colocou a Celeste de volta à vitrina do futebol mundial. Desde a estreia do 9 do Barcelona com a sua seleção, em 2007, a equipe do técnico Tabárez deixou de sofrer nas eliminatórias (o Uruguai não se classificou para as Copas dos Estados Unidos, França e Alemanha; e só participou na Coreia e no Japão graças à repescagem) e a Celeste voltou a erguer o troféu da Copa América na Argentina, em 2011, após 16 anos de jejum.

Depois de deixar o Uruguai no segundo lugar nas eliminatórias para a Copa da Rússia 2018 (somando 20 pontos, a apenas um do líder, que é o Brasil), Luis Suárez retorna a Barcelona, onde terá uma agenda apertada. O time de Luis Enrique receberá em uma semana o Deportivo e o Valencia pelo Campeonato Espanhol e o Manchester City pela Champions League.

Depois do confronto com a Colômbia, o centroavante de Salto mostrou alguns sinais de dor que ele próprio cuidou de minimizar. “É só cansaço”, explicou Suárez: “são muitos jogos, viagens... Mas nada disso importa. O que me interessa é estar na seleção e poder ajudar”. Suárez, em princípio, deve retornar nesta quinta-feira a Barcelona, onde se reencontrará com Messi, Neymar e os demais atletas de Luis Enrique, apenas um dia antes de participar da oitava rodada do Espanhol contra o Deportivo.

Neymar, que levou um cartão amarelo no jogo contra a Bolívia e por isso não atuou na última terça-feira contra a Venezuela, chegará à partida descansado, depois de alguns dias de folga. Enquanto isso, Messi se incorporou aos treinos ontem junto com os demais jogadores na Ciudad Deportiva Joan Gamper, começando a deixar para trás a lesão no adutor da perna direita que sofreu no último dia 21 de setembro contra o Atlético de Madrid.

Embora o Barça não planeje acelerar a recuperação do argentino pensando na visita do City da próxima quarta-feira, é provável que Luis Enrique conte com Messi por alguns minutos contra o Deportivo. Outro atleta que fez exercícios junto com o grupo foi Umtiti, que se recuperou da distensão do ligamento lateral do joelho esquerdo. O problema, para Luis Enrique, no jogo desta sexta-feira é como cobrir a ausência de Sergio Roberto, lesionado, na lateral direita.

Arquivado Em: