Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Marcelo Freixo cresce e aparece em segundo, atrás de Crivella no Rio

Última pesquisa do Datafolha coloca o candidato do PSOL ocupando o segundo lugar pela primeira vez

Marcelo Freixo e sua vice, Luciana Boiteux, no último dia 15 no Rio de Janeiro. Facebook
Marcelo Freixo e sua vice, Luciana Boiteux, no último dia 15 no Rio de Janeiro. Facebook

A última pesquisa de intenção de voto do Instituto Datafolha à véspera da eleição municipal de domingo confirma a Marcelo Crivella (PRB) como líder isolado a caminho do segundo turno. O bispo licenciado da Igreja Universal, sofreu uma queda de quatro pontos percentuais, mas tem 32% das intenções de voto, seguido por Marcelo Freixo (PSOL) com 16%, que subiu três pontos percentuais em comparação com a pesquisa do início da semana e, pela primeira vez, descola-se do resto de aspirantes ao turno final.

Pedro Paulo (PMDB) oscilou dois pontos percentuais e situa-se hoje com 12% das intenções de voto. No limite da margem de erro, há um empate técnico entre Pedro Paulo e Freixo mas, de acordo com o instituto, o candidato do PSOL tem mais probabilidade de estar na frente.

Índio da Costa (PSD) subiu na intenção de voto nesta última semana e foi de 7% para 11%. O deputado estadual Carlos Osorio (PSDB) passou de 7% a 10%, enquanto Jandira Feghali (PCdoB) e Flavio Bolsonaro (PSC) recuaram dois pontos e ficaram com 7% e 8% respetivamente.

A pesquisa, realizada na sexta-feira e no sábado com 2.159 entrevistados, contempla apenas o resultado dos votos válidos e tem uma margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos (a mais precisa até hoje). As entrevistas foram feitas depois do último debate realizado na quinta-feira na TV Globo. Segundo a pesquisa, 54% dos entrevistados assistiram ao programa (21% na sua totalidade e 33% apenas uma parte). O debate foi marcado pela troca de farpas entre Pedro Paulo e Freixo, os dois candidatos com maiores chances de chegar no segundo turno, mas também pelos ataques a Crivella, pela sua proximidade com a Igreja Universal. Foram recorrentes também as criticas de quase todos os candidatos à gestão do PMDB de Pedro Paulo, que hoje governa o país, o Estado e a cidade do Rio.

Nas simulações de segundo turno, a pesquisa aponta que Crivella perdeu fôlego para bater seus rivais, um reflexo do aumento da rejeição que o candidato vem provocando na última semana. No último levantamento, a vantagem contra Freixo era de 22 pontos percentuais. Hoje é de apenas 5 — 42% para Crivella e 37% para o deputado estadual do PSOL.

Índio da Costa aparece como o candidato com mais possibilidades de vencer Crivella num segundo turno, com 38% dos votos contra 41%, um empate técnico. No cenário de um segundo turno de Crivella contra Pedro Paulo, o bispo licenciado ganharia por 47% dos votos contra 25%. Uma diferença de 22 pontos percentuais, algo menos dos 25 pontos registrados no início da semana.

Crivella é hoje o candidato mais rejeitado, com 31% dos eleitores que não votariam nele –no começo da semana esse índice era 25%. Pedro Paulo aparece em segundo lugar com 27%, em empate técnico com Jandira, com 24%. Freixo registra uma rejeição de 12%.

Ibope confirma vantagem de Freixo

A pesquisa do Ibope, divulgada neste sábado pouco depois dos resultados do Datafolha, coloca Marcello Crivella com 38% dos votos válidos. Em segundo lugar aparece Freixo, com 14%, e Pedro Paulo, com 11%. A pesquisa tem uma margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, pelo que, de novo, os candidatos do PSOL e do PMDB estão tecnicamente empatados. Também empatados no segundo lugar aparecem Flávio Bolsonaro (PSC) e Índio da Costa (PSD), com 10% da intenção de voto. Já Jandira (PCdoB) tem 7% e Osorio (PSDB), 6%. O deputado federal Alessandro Molon, da Rede Sustentabilidade, aparece com apenas 2% dos votos.

Se considerados os votos totais, incluídos os votos brancos e nulos, Crivella tem 31% da intenção de voto, Freixo 12% e Pedro Paulo aparece com 9%. Bolsonaro e Indio teriam 8% e Jandira e Osorio, 5%. Os votos em brancos e nulos somaram 14%, e 5% dos entrevistados não souberam responder ou não opinaram.

Nas simulações do segundo turno considerando os votos totais, Crivella venceria as eleições com 47% dos votos contra Freixo, que alcançaria 25%. Índio da Costa continua sendo o candidato com mais vantagem frente a Crivella num segundo turno, com 27% dos votos contra 45% do nome do PRB. Se o rival no segundo turno fosse Pedro Paulo, este conseguiria 21% contra 49% de Crivella. O mesmo cenário se repetiria se a adversária de Crivella fosse Jandira. Num segundo turno entre Crivella e Bolsonaro, este último conseguiria 21% dos votos frente a 48%.

Nesta pesquisa, realizada entre o dia 29 e hoje, o Ibope questionou os 1.204 entrevistados sobre em quais candidatos nunca votariam, podendo mencionar vários deles na resposta. Pedro Paulo soma o maior percentual de rejeição (41%), seguido de Jandira (39%), Crivella (29%) e Bolsonaro (28%). Marcelo Freixo aparece com 20%.

MAIS INFORMAÇÕES