Morre Shimon Peres

Israel organiza funeral de chefe de Estado para Peres com caráter de homenagem internacional

Obama, Hillary e Bill Clinton e François Hollande anunciam presença na cerimônia desta sexta-feira

O filho de Shimon Peres, Jemi Peres (centro), ao lado da equipe médica, anuncia a morte do pai. JACK GUEZ

Mais informações

As badaladas dos sinos das igrejas cristãs da Cidade Velha de Jerusalém confirmaram na madrugada desta quarta-feira a morte do ex-presidente de Israel Shimon Peres aos 93 anos. O homem de Estado que passou por todos os cargos políticos em seu país morreu pouco antes das cinco horas da manhã (ainda noite de terça-feira no Brasil) no hospital de Tel Aviv onde tinha sido internado há duas semanas em consequência de um derrame cerebral.

As autoridades israelenses organizam um funeral de Estado para esta sexta-feira no cemitério nacional do Monte Herzl de Jerusalém, para o qual já anunciaram presença o presidente dos EUA, Barack Obama; o ex-presidente Bill Clinton e sua mulher, a candidata à Casa Branca Hillary Clinton; o primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau; o presidente da França, François Hollande; e o presidente do México, Enrique Peña Nieto, entre outros governantes e dirigentes internacionais, segundo o jornal Haaretz.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, expressou o seu “lamento pessoal” pelo falecimento de Peres e convocou uma reunião extraordinária do Governo para esta quarta-feira em memória do mandatário. O chefe de Governo também fez um pronunciamento pela televisão em homenagem a Peres. “Ele dedicou a sua vida ao renascimento de um povo”, disse. “Sua visão de futuro o tornou um líder da defesa e da segurança de Israel”, afirmou Netanyahu, fazendo uma referência ao programa de reatores implementado por Peres a fim de dotar o seu país de armas atômicas e transformá-lo, assim, na única potência nuclear –ainda que não assumida— do Oriente Médio.

O corpo daquele que foi um patriarca da política israelense será trasladado nesta quinta-feira para a sede do Knesset (Parlamento), para que a população possa lhe render suas homenagens. A família já havia anunciado, na noite anterior, que o estado de saúde de Peres se tornara irreversível, ao mesmo tempo em que pedia aos israelenses que rezassem pelo Prêmio Nobel da Paz. O filho do ex-presidente, Jemi Peres, foi no início da manhã (hora local) ao hospital Sheba, no distrito de Tel Hashomer, na periferia de Tel Aviv, para confirmar o falecimento. “Ele amou o povo de Israel até o seu último suspiro”, declarou a respeito do pai, a quem incluiu na “geração dos pais fundadores de Israel”.

Um dos primeiros dirigentes internacionais a evocar sua memória foi Barack Obama, que disse que Shimon Peres –“meu querido amigo, um dos pais fundadores do Estado de Israel”, disse—“mudou o curso da história”. O presidente dos EUA destacou não apenas o papel desempenhado nos acontecimentos de seu país, mas também o seu exemplo moral. “Foi uma pessoa de grande coração e nunca abandonou a esperança de uma paz entre israelenses e palestinos, e não há melhor homenagem à sua memória do que renovar neste momento o compromisso com a paz, que é possível”.

O presidente da França, François Hollande, também ressaltou, na mesma linha de outros governantes de vários países, que Israel perdeu “um de seus homens de Estado mais ilustres e um de seus mais ardentes defensores da paz”.