Médico que elogiou a “extraordinária saúde” de Trump escreveu nota “em cinco minutos”

Redigiu o relatório enquanto a limusine do candidato republicano esperava na porta

Trump, durante evento em Las Vegas.
Trump, durante evento em Las Vegas. REUTERS

O doutor Harold Bornstein, que em dezembro do ano passado disse que Donald Trump seria “o presidente mais saudável de toda a história” dos Estados Unidos caso fosse eleito em novembro deste ano, declarou nesta sexta-feira que redigiu as conclusões de seu exame – o único relatório médico pessoal que Trump tornou público – “em cinco minutos” e que a redação delas foi um tanto imprecisa.

“Tentei escrever 4 ou 5 linhas o mais rápido possível para que ficassem contentes, mas, com a pressa, acho que algumas palavras não saíram como eu queria que saíssem”, admitiu nesta sexta-feira à rede NBC, explicando que escreveu a nota enquanto a limusine de Trump esperava para pegá-la. “Acho que fui contagiado por sua [de Trump] forma de falar e interpretei como quis”, declarou Bornstein, que trabalha no hospital Lenox Hill, de Nova York.

Bornstein, especialista em clínica médica e médico pessoal de Trump há 36 anos, afirmou em dezembro, numa carta recheada de hipérboles, que a saúde de Trump era “assombrosamente excelente” e que o candidato republicano era dotado de extraordinárias “força física” e “saúde em geral”.

“Sua saúde é excelente, principalmente sua saúde mental”, disse o médico entre risadas. “Funciona muito bem”, acrescentou à BBC.

O médico ajustou seu diagnóstico na entrevista desta sexta-feira, na qual se limitou a avaliar que a saúde de Trump, de 70 anos, era normal para uma pessoa de sua idade. “Não bebe, não fuma, e isso é simplesmente uma das maiores vantagens que se podem ter, creio, e seu histórico familiar é bom”, disse.

MAIS INFORMAÇÕES