Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Êxodo dos famosos nas redes sociais

A enxurrada de insultos faz com que as estrelas questionem sua permanência nas redes sociais. Justin Bieber é o último a sair

Os cantores Justin Bieber e Taylor Swift.
Os cantores Justin Bieber e Taylor Swift.

As redes sociais se transformaram na plataforma preferida dos famosos para contar a seus seguidores cada passo de suas vidas. Desde acontecimentos importantes como o nascimento de um filho até eventos tão triviais quanto o que comeram no almoço. Mas parece que compartilhar sua vida privilegiada e receber críticas em troca começou a incomodar as estrelas. Então há celebrities que decidiram colocar um cadeado em seus perfis ou simplesmente cair fora. Tudo indica que as redes sociais já não são o paraíso para idolatrar os mais famosos e agora se tornaram um espaço de difícil convivência.

O mais recente a confirmar esta premissa foi Justin Bieber. O cantor, de 22 anos, decidiu ontem eliminar seu Instagram, onde acumulava quase 78 milhões de seguidores e mais de 3.700 publicações, depois de receber fortes críticas por subir fotos com Sofia Richie, que poderia ser sua nova namorada. As mensagens dos beliebers pediam que ele deixasse sua nova conquista e voltasse com Hailey Baldwin. Depois de uma troca de mensagens com sua ex-namorada, a cantora Selena Gómez, o canadense disse adeus.

Os haters não fazem apenas os famosos passarem por maus bocados. Os políticos também são afetados. A última polêmica foi criada no Twitter, quando se soube que Dick Costolo, o ex-presidente da rede do passarinho azul, deu a ordem interna de conter os comentários ofensivos contra o presidente Barack Obama durante uma sessão de perguntas e respostas organizada dentro do serviço. Uma prática habitual nesse tipo de encontros, mas que despertou as queixas de alguns funcionários internamente —que transcenderam os limites da sede— por considerarem o pedido uma medida de censura. O debate é a chave da encruzilhada na qual a empresa se encontra. Sob a bandeira da liberdade de expressão, seu espaço perde prestígio pela grande quantidade de impropérios que seus usuários têm de suportar dos trolls. A lentidão na hora de decidir o que é uma ofensa ou se um perfil deve ser retirado acabou por fazer com que algumas estrelas perdessem a paciência.

Justin Bieber e Sofia Richie, em uma das últimas fotografias publicadas pelo cantor em seu Instagram. ampliar foto
Justin Bieber e Sofia Richie, em uma das últimas fotografias publicadas pelo cantor em seu Instagram.

Normani Kordei, do grupo Fifth Harmony, anunciou no início de agosto que abandonaria o Twitter devido aos “horríveis comentários racistas” que recebia. Em uma nota de despedida, explicou os motivos: “Depois de passar os últimos quatro anos sob o escrutínio midiático, aprendi a ignorar as críticas e as pessoas de quem não gosto. Nunca tentei negar a ninguém o direito de ter uma opinião, mas na última semana, e especialmente nas últimas 48 anos, não só fui acossada nas redes sociais, como fui acossada com tuítes racistas e fotografias tão horríveis que já não consigo continuar me expondo a tanto ódio”.

O caso de Leslie Jones foi ainda mais terrível. Uma das protagonistas do novo filme Caça-Fantasmas foi vítima de uma campanha contrária, constante e agressiva. “Saio do Twitter esta noite com lágrimas e grande tristeza. Tudo porque fiz um filme. Você pode odiar o filme, mas toda essa merda... Droga”, escreveu em 19 de julho. Em seguida, Jack Dorsey, cofundador e presidente do Twitter, pediu à atriz que lhe mandasse uma mensagem privada. A primeira consequência desse ataque a Jones foi a suspensão permanente do usuário Milo Yiannopoulos. Eliminar o perfil deste conhecido provocador que aparece em programas de cunho conservador na televisão nos EUA foi uma medida mais midiática do que efetiva, mas que estabelece um precedente dentro da ampla margem de tolerância do Twitter, ao qual Jones voltaria alguns dias depois.

De sua parte, o Instagram, propriedade do Facebook e com uma curva de crescimento de usuários superior à do Twitter, também teve de tomar uma decisão similar. A enxurrada de insultos cruzados entre os seguidores do casal West-Kardashin e os de Taylor Swift foram contidos com uma nova ferramenta que filtra comentários. No momento funciona para famosos com perfis verificados e permite criar uma lista de palavras e expressões ofensivas.

A fuga de artistas e estrelas começa a ser uma realidade. Já o fizeram as gêmeas Olsen, Kate Winslet, Bradley Cooper, Sandra Bullock, Daniel Radcliffe, Julia Roberts, Brad Pitt e Angelina Jolie. Mas nem é preciso ir tão longe. Na Espanha estas atitudes também estão na ordem do dia. Basta lembrar o caso de Raquel Sanz, viúva de Víctor Barrio, toureiro falecido no mês de julho passado, cujo assédio nas redes sociais o levou a recorrer aos tribunais.

MAIS INFORMAÇÕES