Tentativa de golpe de Estado na Turquia

Tentativa de golpe de Estado estremece as relações entre Turquia e EUA

Washington responde com contundência a Ancara e afirma que insinuar que possa estar por trás do levante é “totalmente falso” e “prejudicial”

O secretário de Estado John Kerry, na sexta-feira passada. ALEXANDER ZEMLIANICHENKO (AP) / ATLAS (atlas)

As relações entre a Turquia e os Estados Unidos se tornam mais tensas à medida que as horas passam desde a tentativa de golpe de Estado da noite de sexta-feira. As insinuações do Governo de Erdogan de que os norte-americanos podem estar por trás da rebelião militar provocaram feridas na Administração de Barack Obama. John Kerry, secretário de Estado e principal responsável pelas relações internacionais, mandou uma mensagem direta às autoridades turcas: esse tipo de acusação é “totalmente falsa” e “prejudica” as relações bilaterais.

Mais informações

"Kerry afirmou que os EUA estão dispostos a proporcionar ajuda às autoridades turcas que investigam o golpe, mas quaisquer insinuações ou afirmações sobre qualquer papel dos EUA no fracassado golpe de Estado são completamente falsas e prejudicam nossas relações bilaterais”, enfatizou John Kirby, porta-voz do secretário de Estado.

Essas palavras se produziram também depois que Erdogan acusou seu antigo aliado e agora inimigo Fethullah Gulen, autoexilado nos Estados Unidos, de estar por trás do golpe, o que o clérigo negou na sexta-feira em um comunicado. Diante dessa situação, o presidente turco pediu a Washington a extradição de Gulen, mas seu ministro de Relações Exteriores reconheceu que ainda não foi encaminhada uma solicitação formal.

Nesse sentido, Kerry afirmou que está disposto a “estudar” qualquer “prova legítima que embase uma averiguação” da implicação do clérigo, residente na Pensilvânia, na ação golpista. “Estou certo de que vai haver algumas discussões a respeito”, antecipou o secretário de Estado, que prometeu que tomará uma “decisão apropriada” a respeito.

Essas tensões bilaterais dificultam a atividade militar que os EUA desenvolvem a partir da Turquia, onde operam na base de Incirlik, a 110 quilômetros da fronteira com a Síria, e de onde lançam ofensivas para combater o Estado Islâmico. Os EUA suspenderam neste sábado temporariamente essas operações por causa do fechamento do espaço aéreo para aviões militares, decretado depois da fracassada tentativa de golpe.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete
O mais visto em ...Top 50