Seleccione Edição
Login

Toureiro espanhol de 29 anos morre após ser atingido por uma chifrada

A morte de Víctor Barrio é a primeira durante uma tourada na Espanha desde 1992

Victor Barrio
Víctor Bairro ao ser socorrido após ser atingido. EFE

O toureiro espanhol Víctor Barrio, de 29 anos, morreu neste sábado na praça de touros de Teruel, na Feria del Ángel, na Espanha, após ser atingido por uma chifrada. Em um descuido no qual o vento deslocou sua muleta − a flanela vermelha usada pelos toureiros −, Barrio sofreu o golpe e, já no chão, foi chifrado novamente de lado. O touro atravessou com o chifre o peito de Barrio, que morreu na enfermaria.

Após o grave golpe, o toureiro foi levado à enfermaria, mas os médicos não puderam salvá-lo, informaram fontes municipais, que anunciaram a suspensão da festa.

A morte de Víctor Barrio é a primeira ocorrida na Espanha desde 1992. Barrio nasceu em Grajera (Segóvia) em 29 de maio de 1987 e começou sua atividade profissional na praça de touros de Las Ventas, em Madri, em 8 de abril de 2012.

O rapaz começou tarde a carreira na área, depois de trabalhar em um campo de golfe, um emprego que compatibilizou com os estudos. Ele tomou a decisão aos 20 anos: “Sempre tinha sentido uma grande admiração pelos toureiros e pela festa, mas me dava até vergonha dizer que queria ser toureiro, eu os via como heróis”, contou certa vez.

No século passado, 134 profissionais, 33 deles matadores, morreram em decorrência de ferimentos sofridos nas touradas. As mortes dos toureiros Francisco Rivera Paquirri (Pozoblanco, Córdoba, 1984) e José Cubero Yiyo (Colmenar Viejo, Madri, 1985), assim como as dos bandarilheiros Manolo Montoliú e Ramón Soto Vargas (as duas em 1992), foram as últimas nas praças espanholas no século 20. Em 1971, José Mata morreu dois dias depois de ser chifrado em Villanueva de los Infantes (Ciudad Real) pelo touroCascabel. Três anos depois, o português José Falcón faleceu na praça Monumental de Barcelona, vítima do touro Cuchareto.

MAIS INFORMAÇÕES