Atentado em Istambul

Atentado no aeroporto de Istambul deixa ao menos 41 mortos

O Ministério do Interior confirmou duas explosões e um tiroteio na entrada do aeroporto

Ambulância chega ao aeroporto turco.
Ambulância chega ao aeroporto turco.OSMAN ORSAL (REUTERS)

A Turquia voltou a sofrer nesta terça-feira um golpe do terrorismo, com um ataque que deixou ao menos 41 mortos (sendo que ao menos 10 são estrangeiros) e 239 pessoas feridas, segundo as informações atualizadas no início da manhã desta quarta-feira. Além do mais, em um dos núcleos mais importantes para o turismo: o aeroporto Atatürk de Istambul, o principal aeródromo da cidade turca, que serve como nó de escalas de numerosos voos internacionais. O governador de Istambul assegurou que ao menos três terroristas suicidas detonaram seus explosivos.

MAIS INFORMAÇÕES

Este é o último ato de uma longa série de ações armadas com as que tanto os jihadistas do Estado Islâmico (EI) como os nacionalistas curdos de vários grupos armados provocaram mais de 250 mortos durante o último ano. Segundo o Itamaraty, não há registro de brasileiros entre as vítimas. "O governo brasileiro manifesta sua firme condenação aos atentados que provocaram várias dezenas de vítimas, entre mortos e feridos, no aeroporto de Ataturk, na cidade de Istambul, Turquia", disse o Ministério das Relações Exteriores brasileiro.

Em torno das 22h (hora local, quatro a mais que em Brasília), a polícia identificou dois suspeitos junto à planta do aeroporto por onde se chega à zona de desembarque do terminal internacional. Pretendiam tentar passar pelo controle de segurança que dá acesso ao edifício e, segundo explicou ao EL PAÍS uma fonte do Ministério de Interior, um deles abriu fogo com um Kalashnikov, ao que os agentes de policial responderam com disparos para tratar de "os neutralizar". Então, um dos suspeitos ativou a carga explosiva que portava. "Escutou-se um tiroteio durante um minuto, e depois vimos algo como uma bola de fogo", explicou uma das testemunhas do atentado à emissora CNN-Türk.

"Infelizmente, dez pessoas foram assassinadas em uma primeira contagem", disse o ministro da Justiça, Bekir Bozdag, que falava naquele momento, minutos depois de a notícia vir a público, de ao menos 20 feridos. Os números de mortos e feridos divulgados pela imprensa cresceram minutos depois. Uma fonte turca assegurou que dois suspeitos se explodiram no aeroporto, quando tentavam acessar o interior do terminal internacional através da porta que dá acesso ao andar de chegadas de voos. A policial disparou contra os suspeitos para tentar "neutralizá-los", relatou ao EL PAÍS uma fonte do Executivo turco, que detalhou que foi então, justo antes do controle de segurança, quando um dos homens detonou a carga explosiva que portava.

"Um terrorista começou a disparar com um kalashnikov antes de se explodir", acrescentou o ministro de Justiça. A entrada à zona de passageiros do aeroporto, um dos mais movimentados do mundo, se encontra submetida a controles de segurança, com detectores de metal e scanners. As testemunhas, consultadas por emissoras como NTV e CNN Turk, confirmaram que ambulâncias e táxis evacuaram da zona várias pessoas que sofreram ferimentos.

O segundo aeroporto de Istambul, Sabiha Gokcen, foi atacado em dezembro de 2015 em uma ação que matou uma pessoa. Ao todo, 61 milhões de passageiros passam anualmente pelo aeroporto Atatürk, que ocupa a 11ª posição no ranking mundial de passageiro. Este aeroporto é o centro de operações da Turkish Airlines, uma das companhias aéreas de mais rápido crescimento nos últimos anos.

Siga as últimas informações sobre o caso, em espanhol, abaixo:

Arquivado Em: