Copa América

Peru desperdiça vantagem e empata com o Equador na Copa América

Alvirrubros marcaram dois gols logo no começo, mas não souberam aproveitá-los

Renato Tapia, de Peru (direita), e Enner Valência durante a segunda parte.
Renato Tapia, de Peru (direita), e Enner Valência durante a segunda parte.Ross D. Franklin (AP)

O Peru desperdiçou a vantagem de dois gols que obteve num começo de partida fulgurante, cedendo o empate a uma seleção equatoriana que cresceu durante o jogo e soube reagir na hora certa. Com esse resultado, mais a vitória brasileira por 7 x 1 sobre o já eliminado Haiti, a definição do Grupo B da Copa América ficará para a terceira e última rodada.

Mais informações

Dois times se classificam para as quartas de final do torneio. Os peruanos somam os mesmos quatro pontos que o líder Brasil, e os dois times se enfrentam no domingo, enquanto o Equador pega o frágil Haiti.

Desde o apito inicial, os peruanos se lançaram à frente e não levaram nem um minuto para criar a primeira chance clara de gol, num chute preciso de Paolo Guerrero, lindamente espalmado pelo goleiro Alexander Domínguez.

Com velocidade e determinação, o time de Ricardo Gareca se dedicou a buscar um gol que lhe desse tranquilidade. Este chegou na segunda oportunidade, após um grande passe de Guerrero para Christian Cueva, que arrematou com habilidade na entrada da área. Com apenas 4 minutos, o placar já estava aberto.

Esse gol desnorteou os equatorianos, que não conseguiam reagir à saída maciça de um rival muito mais ativo, que não deixava de pressionar, recuperava bolas o tempo todo e mantinha os adversários de mãos atadas.

A seleção peruana recua

Fruto desse melhor jogo, o segundo gol saiu aos 13 minutos, quando Edison Flores, num chute cruzado de canhota, aproveitou uma cobrança de falta, sem que o goleiro pudesse reagir.

Com o objetivo completo, a seleção alvirrubra foi se recuando e cedendo espaço a um Equador desconhecido, que não encontrava a fórmula que lhe permitisse reequilibrar o jogo, e que ainda esteve perto de levar o terceiro gol numa cabeçada de Revoredo, livre de marcação – a bola foi fora.

Com o passar dos minutos, o Peru demonstrou cansaço, pagando o preço do esforço inicial, e o Equador aproveitou para adiantar suas linhas, reequilibrando a posse de bola.

Na primeira chance real do time de Gustavo Quinteros, Enner Valencia conseguiu reduzir distâncias ao aproveitar uma assistência de Antonio Valencia e, depois de matar a bola no peito, fuzilou Pedro Gallese e diminuiu o placar para 1 x 2, ainda antes do intervalo.

Recomeçado o jogo, o Equador levou apenas dois minutos para empatar, graças a uma grande triangulação que culminou com um passe de Jefferson Montero para Miler Bolaños, que só teve o trabalho de empurrar para a rede.

Os papéis então se inverteram. Os equatorianos passaram a controlar o jogo, e a seleção peruana foi decaindo e recuando, à espera de algum contra-ataque que garantisse a classificação, mas sem a fé nem as forças do primeiro tempo.

Jaime Ayoví esteve a ponto de selar a virada equatoriana aos 26 minutos, mas seu chute foi interceptado por Pedro Gallese. Na outra área, as chegadas eram mais esporádicas, e o gol equatoriano parecia ser mais iminente – mas acabou não ocorrendo. A expulsão do zagueiro equatoriano Gabriel Achilier, aos 47, não afetou ao resultado.

Curta a fanpage de Esportes do EL PAÍS Brasil no Facebook.