Virada Cultural

Tesouros na programação da Virada Cultural de São Paulo que talvez você não tenha percebido

O EL PAÍS elege algumas atrações entre as 700 atividades que compõem a maratona do evento em 2016

O grupo argentino Violentango está na programação da Virada Cultural
O grupo argentino Violentango está na programação da Virada Cultural

A Virada Cultural, um dos eventos do ano mais esperados para quem vive em São Paulo, começa nesta sexta na capital paulista. São mais de 24 horas de atividades com 700 atrações espalhadas pela cidade. Para ajudar você a escolher entre as centenas de shows, peças, saraus, oficinas, etc, a redação do EL PAÍS selecionou alguns tesouros escondidos na programação:

(Para ver a lista completa de atrações da Virada Cultural, com horários e locais, acesse o site oficial do evento neste link)

Adeus a Cauby Peixoto. Já estava previsto um show do cantor com a parceira de longa data Ângela Maria nesta edição da Virada Cultural. Com a morte do intérprete no último dia 15, a apresentação tornou-se um tributo ao artista, que promete arrancar lágrimas do público. Sobem ao palco ao lado de Ângela, Agnaldo Timóteo, Fafá de Belém, Vânia Bastos, Ayrton Montarroyos, Marcio Gomes e Adriana Peixoto (sobrinha de Cauby). No Palco República, domingo, às 18h.

Tributo a Júpiter Maçã. Flávio Basso, mais conhecido como Júpiter Maçã (ou ‘Jupiter Apple’), morreu em dezembro passado, deixando órfãs gerações de fãs do ícone da psicodelia. No comando de Os Cascavelletes, Basso foi um dos artistas mais influentes do rock gaúcho e da cena psicodélica nacional. Rogério Skylab, Wander Wildner e Plato Divorak se juntam para homenageá-lo no show que deve reunir a tribo gaúcha de São Paulo. Espere um coral emocionado do hino Um lugar do Caralho, do mítico álbum A Sétima Efervescência. No Palco Rio Branco (Av Duque de Caxias x Av Rio Branco), sábado, às 0h.

Happy-hour no Palacete Tereza Toledo Lara. A reinauguração da Casa de Francisca, um dos espaços de shows mais bacanas da cidade, é aguardada com expectativa. E não é em vão. A nova sede será o histórico prédio Palacete Tereza Toledo Lara, no coração do centro paulistano, o cruzamento da Rua Quintino Bocaiúva e Rua Direita. O ponto ficou conhecido como “esquina musical” por outrora ter abrigado a Rádio Record. É na varanda no palacete, de frente pra rua, que 20 artistas vão se revezar em apresentações em grupo de uma hora, a partir das 18h. O EL PAÍS recomenda: Arrigo Barnabé, Luiz Tatit e Lívia Nestrovski às 20h; Kiko Dinucci, Juçara Marçal e Thiago França.

Rainha da Virada. O público pode ajudar a eleger a melhor intérprete do concurso de lipsync (dublagens de músicas). Dezesseis participantes, entre transexuais, drag queens, crossdressers e transformistas, disputam o prêmio, de 1500 reais. Os fãs do reality show RuPaul’s Drag Race, a competição de drag queens mais famosa da TV, poderão ver de perto Yara Sofia, uma da estrelas da terceira temporada do programa. Ela vai entregar a coroa à vencedora. No Palco Arouche (no Largo do Arouche, sábado, às 18h).

Violentango. Em turnê pelo Brasil, o quinteto portenho apresenta composições próprias e reinvenções de clássicos do tango em apresentações originais, repletas de improvisações e dramaticidade. Na formação com guitarras, bandoneón, bateria e violão, surgem releituras de, por exemplo, Libertango, de Astor Piazolla. No Palco Praça da República (na Praça da República, sábado, às 22h).