Cleveland paga 21,3 milhões de reais de indenização pela morte a tiros de um garoto negro

Tamir Rice, que estava com uma pistola de brinquedo, morreu em 2014 baleado por um policial branco

A polícia de Cleveland mata um garoto que estava com uma pistola de brinquedo.Atlas (atlas)

A cidade norte-americana de Cleveland pagará seis milhões de dólares (21,3 milhões de reais) para indenizar a família de Tamir Rice, o garoto afro-americano de 12 anos que morreu em 2014 baleado por um policial. A morte de Rice, que brincava com uma pistola de plástico, comoveu um país já imerso no doloroso debate sobre a violência policial nos Estados Unidos.

Mais informações

Com esse acordo, que ainda precisa ser ratificado pela justiça, Cleveland acerta a retirada do processo contra o agente Timothy Loehmann, autor dos disparos que mataram Rice, e contra seu colega de patrulha. A indenização significa também que a família do garoto não poderá processar a cidade e a polícia de Cleveland não será submetida a um julgamento por violação dos direitos civis do garoto em um tribunal federal.

A morte de Rice em 2014 se juntou a de Michael Brown em Ferguson e a de Eric Garner em Nova York. Apesar de não ter recebido os mesmos protestos, causou profunda comoção pela divulgação de um vídeo gravado por uma câmera de vigilância na qual se vê como os dois agentes dispararam contra o menor assim que chegaram ao parque onde ele brincava. Posteriormente se soube que uma ligação ao serviço de emergência já havia alertado antes sobre a presença de uma pessoa armada, mas que a pistola poderia ser falsa.

As autoridades da cidade de Cleveland sustentaram o tempo todo que os agentes não cometeram nenhum erro. Em dezembro, um grande júri decidiu que eles não deveriam ser acusados, assim como o promotor do condado, Tim McGinty, que afirmou que Rice morreu por “um perfeito vendaval de erros humanos”.

A família Rice denunciou em várias ocasiões tanto a extensão do processo legal como a falta de acusações contra os agentes envolvidos na morte do garoto. “Apesar de ser uma sentença histórica em termos financeiros, nenhum valor pode compensar adequadamente a perda de uma vida”, afirmou na segunda-feira a advogada da família, Subodh Chandra. Segundo o acordo, os herdeiros do menino receberão 5,5 milhões de dólares (19,5 milhões de reais), enquanto sua mãe, Samaria, e sua irmã receberão também mais 250.000 dólares (886.900 reais) cada uma.

O mais visto em ...

Top 50