Seleccione Edição
Login

Beyoncé: orgulho negro e lavação de roupa suja do casamento em novo disco

‘Lemonade’ saiu na madrugada de sábado, mas continua sendo um enigma

Anuncia sua separação de Jay Z? Ou é uma declaração de amor ao rapper?

Beyoncé, Lemonade

Durante várias semanas Beyoncé brincou de despistar. Tudo começou no início de fevereiro, quando, subitamente, lançou Formation, seu novo single, e anunciou uma turnê mundial. A partir daí, tudo eram rumores e, uma semana depois de um misterioso trailer em suas redes sociais, Queen B lançou Lemonade, seu sexto disco de estúdio, exclusivamente por meio da plataforma Tidal.

Mas o disco ainda não está nem sequer à venda no resto das plataformas digitais e na Internet não há o menor rastro das canções. Quanto se sabe realmente do novo trabalho da cantora? Por que alguns meios de comunicação o qualificam como um ataque ao marido Jay Z? Fala sobre a infidelidade dele? A seguir, sete informações imprescindíveis sobre o novo álbum de Beyoncé.

1- Lemonade não é um disco normal.

Na mesma noite do lançamento, a HBO transmitiu pela primeira vez um filme inspirado nas canções do álbum. Na verdade, Lemonade é composto por 12 peças audiovisuais que, juntas, formam um filme de aproximadamente uma hora de duração. No Tidal, baixar o filme é gratuito, mas ainda não se sabe como será sua comercialização em outras plataformas. Na verdade, nem é tão inovador, pois Beyoncé já fez algo parecido em seu disco anterior, no qual todas as músicas tinham um videoclipe.

2- Conta uma história.

Talvez o mais surpreendente de Lemonade seja o fato de ter uma espécie de roteiro se juntarmos todas as músicas. Basicamente, conta a história de uma mulher que vai percebendo lentamente que seu casamento não tem futuro e que o marido a traiu. Os títulos das músicas antecipam um pouco da história com nomes como Sorry ou Freedom. A última canção do álbum é Formation, o primeiro single, cuja letra parece um hino de reafirmação de si mesma. Assim, a coisa não parece acabar de todo mal.

3- É um disco com muita morbidez.

Porque a história da qual fala, em que há chifres e desprezo, vem sendo extrapolada pela imprensa para a vida da cantora e Jay Z. Há meses o casal convive com rumores sobre uma suposta crise no casamento e, no disco, a cantora derrama frases como: “Por que você não pode me ver? Todos os outros podem”, “Você pode notar o cheiro da traição, está no seu hálito”, “Que c*** você acha que é? Não está casado com uma cadela medíocre!”, “Você sabe que daria minha vida por você. Se você voltar a cair nessa merda, vai perder sua esposa”. É assim o tempo todo. Além disso, em uma das canções Beyoncé diz o seguinte: “Ele só me quer quando não estou. Prefere chamar Becky, a do cabelo bonito”. E armou-se a novela.

Diante dessa frase, o Twitter não deixou de perguntar durante horas quem seria essa mulher de “cabelo bonito” e Rachel Roy, uma designer que as revistas sentimentais já haviam relacionado com Jay Z, zombou do assunto em sua conta no Instagram dizendo algo como que ela não se importaria em ser “essa garota do cabelo bonito”. “O resultado? Milhares de insultos em sua conta no Instagram, que ela teve de tornar privada. No final, Roy se arrependeu da brincadeira e pediu desculpas, mais ou menos, pelo Twitter, dizendo que ela respeita os casamentos. Ora, uma confusão daquelas da qual Beyoncé certamente está rindo a ponto de bater as mandíbulas em sua enorme mansão.

4- O disco está cheio de estrelas (E entre elas não está Jay Z).

Em várias canções do álbum colaboram The Weeknd, Jack White, Diplo, Ezra Koening –do Vampire Weekend–, Kendrick Lamar, James Blake e tem até um sampler do Led Zeppelin. Na parte audiovisual, a tenista Serena Williams faz um twerking e tudo.

5- É uma estratégia de apoio ao Tidal.

A empresa de distribuição de música comprada por Jay Z por 56 milhões de dólares (aproximadamente 200 milhões de reais) continua em último lugar. O Spotify tem mais de 30 milhões de usuários e a Apple Music tem cerca de 11 milhões, mas o Tidal tem apenas três milhões. Por isso, a manobra de lançar o disco somente pelo Tidal pode dar um grande impulso à empresa. Especialmente porque, com a compra, os usuários recebem 90 dias grátis no Tidal. Levando em conta que Beyoncé é uma das poucas cantoras do mundo que ainda vende discos, se uma pequena porcentagem desses usuários ficar na plataforma, isso pode ser muito bom para Jay Z.

6- Há muito black power.

Formation já adiantava, mas o disco confirma. Nele existem frases de Malcolm X, alusões à cultura iorubá da África Oriental (de cujo grupo étnico descendem muitos afro-americanos) e à magia negra. Além disso, a parte audiovisual é uma reivindicação das mulheres negras e aparece um grande número de mulheres afro-americanas do show business, como as atrizes Amandla Stenberg, Quevzanhne Wallis, Zendaya e a modelo Winnie Harlow, a primeira mulher negra com vitiligo a fazer campanhas de moda.

7- Por que se chama Lemonade?

Embora no filme Beyoncé leia uma receita de limonada, o mais provável, segundo a maioria dos meios de comunicação norte-americanos, é que o disco tenha esse nome porque adotou o ditado: “Se a vida lhe der limões, faça uma limonada”. Assim, de uma experiência negativa como a traição do marido, a protagonista do álbum fez o melhor que podia fazer: aproveitar-se disso e fazer músicas sobre o assunto. Mas é essa mulher é Beyoncé e o outro envolvido é seu marido Jay Z? Esse parece ser o maior segredo de Lemonade.

MAIS INFORMAÇÕES