Seleccione Edição
Login

Candidato de Dilma vence o de Cunha na disputa pela liderança do PMDB na Câmara

Leonardo Picciani venceu o deputado Hugo Motta por 37 votos a 30

Para garantir a vitória, ele contou com manobra para levar à Câmara oito deputados

Cunha nesta quarta-feira.
Cunha nesta quarta-feira. EFE

O deputado federal Leonardo Picciani foi reeleito nesta quarta-feira líder do PMDB na Câmara dos Deputados. Carioca, Picciani deverá cumprir mais um ano na função graças ao apoio do Governo Dilma Rousseff.

O líder venceu o deputado Hugo Motta por 37 votos a 30, e ainda foram contabilizados dois votos em branco — outros dois deputados não compareceram à votação. Para garantir sua vitória, Picciani contou com uma manobra para trazer de volta à Câmara cinco deputados suplentes mais três titulares que estavam licenciados.

Entre os titulares que voltaram estava o ministro da Saúde, Marcelo Castro. Ele deixou o ministério por 48 horas apenas para votar no deputado carioca. Quando chegou, foi recebido por manifestantes fantasiados de Aedes aegypti que cantavam: "eu sou o mosquito que veio picar o ministro" e "vai cuidar do zika".

Ao assumir o cargo, Picciani assegura o vínculo de boa parte da bancada do PMDB a Rousseff. Além disso, dá certa tranquilidade ao Governo, já que caberá ao líder peemedebista indicar os membros de seu partido na comissão do impeachment de Rousseff que será criado nas próximas semanas.

Após o anúncio do resultado, Picciani disse que “vai continuar os trabalhos de diálogo na bancada”. Ele negou que tenha obtido influência do governo para a sua recondução ao cargo e disse que, no momento da convocação para analisar o pedido de impeachment de Rousseff, vai "contemplar todas as correntes do PMDB nas indicações para compor a comissão que analisará a questão”.

MAIS INFORMAÇÕES