Seleccione Edição
Login

Torcedores insultam jogadores do Barcelona em voo

Cerca de 16 pessoas protestaram contra o tratamento recebido durante as viagens

Torcedores do Barcelona, do grupo Seguiment FCB, associação que defende os interesses dos sócios do clube, transformaram a viagem do time a Gijón, na Espanha, em um ato de protesto. A equipe, que na quarta-feira enfrentou o Sporting na disputa da 16a rodada do Campeonato Espanhol — partida que foi adiada devido à viagem ao Japão para o Mundial de Clubes —, teve de escutar cantos da torcida que os acusava de menosprezar e ignorar os torcedores nos voos e nas arquibancadas dos estádios onde o Barcelona joga e eles estão presentes. "Por que, por que os torcedores incomodam nas viagens e no campo vocês não vêm nos cumprimentar? Porque, porque vocês não merecem o brasão que usam", foi um dos cantos escutados pelos jogadores, além de um grito ou outro os acusando de se comportar como "mercenários", como mostra um vídeo que os próprios torcedores do Barcelona gravaram — a prática é proibida — e se encarregaram de distribuir nas redes sociais.

O vídeo mostra como um dos representantes dos 16 torcedores — no voo viajavam 60 torcedores do Barcelona com a equipe, comissão técnica e dirigentes do clube — entrega ao presidente do time uma camisa assinada por 14 sócios e uma declaração distribuída durante o voo para o resto dos torcedores. A carta diz: "Não somos clientes do clube, somos o clube. “Cuidemos da 'La Masia’ [categorias de base do Barça] dos sócios", em referência à base dos torcedores. E o presente é justificado para a equipe como ato de protesto: "Hoje não estamos pedindo para que vocês autografem uma camisa, estamos entregando uma [camisa] assinada por um grupo de sócios", diz o comunicado. "Fotos sim, seguranças não", gritavam os sócios durante o voo.

A desculpa para o protesto foi justificada pelo modo pelo qual os jogadores tratam os torcedores que viajam no mesmo voo da equipe, que, seguindo as normas de segurança, costuma manter o mínimo de contato nos corredores do aeroporto de El Prat antes do embarque. Depois disso, os torcedores não têm nenhuma possibilidade de falar com os jogadores. Mas o real motivo das críticas da quarta-feira tem a ver com a pressão que o grupo Seguiment FCB está exercendo para que o clube crie a Grada d'Animaciò – projeto para criar um espaço específico para as torcidas organizadas nos estádios—, que se choca com os relatórios elaborados pela Mossos d’Esquadra, a polícia catalã, sobre segurança. A esse respeito, alguns torcedores criticaram Gerard Piqué por não ter se posicionado a favor da iniciativa publicamente. Assim pensam os membros do conselho, que estão convencidos de que o evento da quarta-feira se restringe a pressões para criar a Grada d'Animaciò.

O Seguiment FCB apresentou 2.734 assinaturas, das quais 2.518 foram aceitas nas últimas eleições para a presidência do Barcelona; por isso, o indicado pelo grupo, Joan Batiste, ficou com 16 assinaturas a menos para se tornar oficialmente candidato. Suas duas únicas propostas eram a criação de uma arquibancada para os jovens e uma agência de viagens para os sócios.

MAIS INFORMAÇÕES