Super Bowl

Dez comerciais do Super Bowl 2016 que você não pode perder

A rede CBS cobra cerca de 5 milhões de dólares por 30 segundos de exposição

Ryan Reynolds, em um dos anúncios do Super Bowl.
Ryan Reynolds, em um dos anúncios do Super Bowl.

O Super Bowl se tornou praticamente um gênero à parte em termos de comerciais publicitários. O intervalo dos jogos da liga de futebol norte-americano é o momento mais valorizado pelas marcas para emitir seus comerciais e atingir uma audiência de milhões de pessoas (no ano passado, foram 114 milhões de telespectadores). Daí os preços estratosféricos desses anúncios. Uma exposição de 30 segundos custa cerca de 5 milhões de dólares. Em 10 anos, o preço dobrou. Pois, além dos milhões de espectadores que os assistem ao vivo, deve ser considerada também a audiência desses comerciais no mundo inteiro e a sua difusão pelo YouTube e redes sociais.

MAIS INFORMAÇÕES

Dessa forma, é normal que os publicitários se esforcem especialmente nos anúncios mostrados durante os intervalos dos jogos do Super Bowl, que neste ano foram transmitidos pela rede CBS (a cada ano é uma rede diferente que os transmite). Uma vitrine como essa não pode deixar de ser bem aproveitada. Além das marcas, filmes como Capitão América: Civil War, O Livro da selva e 10 Cloverfield Lane divulgaram novos trechos durante o acontecimento televisivo (e social) do ano. A rede CBS também aproveitou para divulgar o final de uma de suas séries mais antigas, The Good Wife.

Mas, como conseguir se destacar entre tantos anúncios? Algumas marcas, como a Doritos, fizeram um concurso entre diretores de filmes para escolher o comercial do Super Bowl 2016 e premiaram com 50.000 dólares o twitter mais criativo da noite sobre a sua marca. Outras recorreram a celebridades, à animação, a animais que falam ou ao humor para tentar vender seus produtos.

- Hyundai

- Honda

- Amazon Echo

- Avocados

- Doritos

- Pokémon

- Snickers

- Wix.com

- Death Wish Coffee

- Hyundai

Arquivado Em: