Taiwan luta para resgatar 120 desaparecidos em terremoto

Teme-se que a maioria esteja a grande profundidade sob um conjunto de moradias

Membro de equipe de resgate trabalha entre escombros de edifício em Tainan.
Membro de equipe de resgate trabalha entre escombros de edifício em Tainan.TYRONE SIU (REUTERS)

Taiwan luta contra o tempo para tentar resgatar cerca de 120 pessoas que se calcula que continuem presas sob os escombros depois do terremoto de 6,4 graus na escala Richter que sacudiu no sábado a cidade de Tainan, no sul da ilha. Pelo menos 23 pessoas morreram e mais de 500 ficaram feridas, segundo a agência local CNA.

MAIS INFORMAÇÕES

A grande maioria das pessoas que morreram (21 das 23) e das que estão desaparecidas morava no edifício de apartamentos Weiguan Dragão Dourado, de 16 andares, que ficou completamente destruído.

As equipes de resgate taiwanesas, apoiadas por outras enviadas pelo Japão e pela China, usam guindastes e perfuratrizes para retirar os escombros. A prioridade é resgatar 19 pessoas que se acredita que estejam em áreas mais acessíveis, assinalou o prefeito de Tainan, William Lai Chin-te. Teme-se que outras 103 estejam a grande profundidade sob os restos do edifício. “Não há um acesso direto a elas, é muito difícil”, disse o prefeito. As ruínas ainda são um risco para as equipes de resgate, que precisam ir reforçando passo a passo partes da estrutura antes de poder avançar nas buscas.

Muitos parentes de desaparecidos aguardam ansiosamente, ao lado das ruínas, notícias de seus seres queridos. Chen Yu-mei, mãe de um bebê de três meses soterrado juntamente com outros familiares, disse à AFP: “Estou terrivelmente preocupada. Estou esperando desde as 4 da manhã de sábado [a hora em que ocorreu o terremoto] e não tive notícias de nenhum deles”.

As operações de resgate continuaram ao longo de toda a noite. Nas últimas horas as equipes conseguiram retirar dos escombros três pessoas vivas, entre elas um menino de 6 anos, aparentemente ileso. Outras não tiveram tanta sorte. Foram retirados também vários corpos, entre eles os de duas irmãs que tinham 18 e 23 anos.

No edifício estavam registradas 256 pessoas de 96 famílias, mas no momento do terremoto dormia muito mais gente nele. Diversas famílias tinham alojado amigos e parentes para celebrar a chegada do Ano Novo chinês, nesta segunda-feira. Outros apartamentos, aparentemente, estavam alugados para estudantes que não estavam registrados como residentes.

Embora tenham sido danificados edifícios em nove áreas diferentes de Tainan, uma cidade de 2 milhões de habitantes, o Weiguan Dragão Dourado foi o único que desabou completamente. Depois de receber queixas de vizinhos e residentes sobre a má qualidade da construção, as autoridades taiwanesas anunciaram a abertura de uma investigação para determinar possíveis responsabilidades no colapso.

O tremor foi sentido em toda a ilha e até na costa de Fujian, na China continental. Segundo a CNA, muitos moradores do sul e do centro de Taiwan disseram que os movimentos sísmicos lhes recordaram os do terremoto de 21 de setembro de 1999, de 7,3 graus, que deixou mais de 2.400 mortos.

Inicialmente, mais de 400.000 pessoas ficaram sem luz, mas o serviço já foi restabelecido. A linha de trem de alta velocidade que conecta Tainan com o norte do país, onde reside a maioria da população taiwanesa, continua interrompida.

Segundo o Departamento de Meteorologia taiwanês, o epicentro do sismo se localizou no distrito de Meinong, na cidade de Kaohsiung, no sul da ilha, a uma profundidade de apenas 17 quilômetros e a uma distância de 43 quilômetros de Tainan.