Emprego

Quando você deve mudar de trabalho? Descubra se chegou sua hora

Vem ganhando espaço o perfil de um profissional com gosto pela mudança

MAIS INFORMAÇÕES

Trabalho fixo e por toda vida. Se possível com 14 salários por ano e férias em janeiro. Esse tem sido o santo graal durante anos em nossa sociedade. Para consegui-lo, começar como estagiário em uma empresa e ir subindo até chegar ao topo três décadas mais tarde era o modus operandi habitual. Ir para a concorrência ou buscar outro trabalho era um movimento arriscado do ponto de vista profissional e pessoal.

Uma combinação da conjuntura econômica e a educação recebida pelos trabalhadores mais jovens deu lugar a uma nova mentalidade. Agora é difícil encontrar empresas e trabalhadores dispostos a realizar um casamento bem-sucedido até o fim de seus dias (de trabalho).

Vem ganhando espaço o perfil de um profissional com gosto pela mudança, inquieto, mas que por sua vez é capaz de assumir desafios em pouco tempo e de maneira eficaz. Uma pesquisa publicada pelo jornal inglês The Guardian indica que 90% dos jovens da Geração Y e millennials (nascidos entre 1982 e 2004) não permanecem mais de cinco anos no mesmo local de trabalho. Um terço dos pesquisados não tem intenção de ficar por dois anos.

A mudança é muito positiva tanto para a pessoa como para a empresa”, diz Nacho Somalo, reitor da 'Impact Business School' da Universidade Europeia de Madri

Mas essa mudança contínua de trabalho traz benefícios? Na opinião de Nacho Somalo, reitor da Impact Business School da Universidade Europeia de Madri, é altamente positiva. “O profissional enriquece muito ao desempenhar tarefas de responsabilidade em diferentes âmbitos”, explica. Mas pondera: “Cuidado, não é a mesma coisa mudar de trabalho e mudar de empresa. É possível mudar de trabalho dentro da mesma empresa e, pelo contrário, mudar de empresa e não de trabalho”. E as duas mudanças são interessantes.

Até mesmo para as empresas, essa tendência à mobilidade pode ser um requisito. “Hoje tudo varia muito velozmente e as empresas precisam de novos ares, de modo que a tendência a se perpetuar em um trabalho é negativa, inclusive para elas”, diz o economista. O especialista afirma que pode ser vantajoso até a nível econômico, porque os gastos em formação são compensados com maior rendimento empresarial obtido por se ter um profissional que não ficará entediado.

E você irá se perguntar: quando é o momento de mudar de trabalho? Lamentavelmente, não existe uma resposta certa, pois isso dependerá das necessidades e expectativas do indivíduo. O professor Somalo fala de ‘fim de um ciclo’: “O tempo para se definir mudanças de trabalho depende muito do tipo de trabalho e pessoa. Por isso, é bom falar de ciclos e estes, além disso, não são todos iguais”. Quando um trabalhador percebe que não pode ser mais útil à empresa ou que essa já não o enriquece, é chegada a hora. Mas se quiser a opinião do especialista, “o melhor seria entre 2 e 5 anos para optar pela mudança [se tiver opções para isso, é claro]”.

“É mais importante entender por que mudou de trabalho do que o tempo conveniente para fazê-lo”

As pessoas que optam por esta vida de trabalho movimentada são conhecidas, no mundo anglo-saxão, como job hoppers (pula empregos). Eles são movidos pela aquisição de novas experiências, em aprender e obter melhores condições salariais. Para Roberto Esparza, especialista em Atração e Colocação de Talento, esse perfil se transforma em um problema se o pulador se move de oferta em oferta sem objetivos claros e obtenção de benefícios. “Isso causa uma rotação negativa para a pessoa e pode se tornar um problema em uma entrevista de emprego”, argumenta.

Se está pensando em mudar de trabalho, Somalo aconselha a não se deixar levar pela ansiedade e analisar com honestidade as opções disponíveis. Em uma entrevista de emprego, afirma que o melhor é se mostrar transparente ao recrutador, e se for um job hopper, defender sua escolha e demonstrar por que essa informação joga a seu favor. “É mais importante entender por que mudou de trabalho do que o tempo conveniente para fazê-lo”, finaliza o especialista.

Se você deseja ter um currículo extenso, variado e esplêndido em experiências, segundo os especialistas, não deve ter dúvidas, pois a transformação pensada é sempre positiva. Não existe uma fórmula, um calendário fixo. Essa decisão, por mais difícil que seja, só cabe a você... e sua consciência.

Arquivado Em: