oscar 2016

‘Que Horas Ela Volta?’ fica fora da disputa por um Oscar

Academia divulga lista dos nove pré-candidatos a melhor filme estrangeiro

Regina Casé é a empregada Val em 'Que horas ela volta?'.
Regina Casé é a empregada Val em 'Que horas ela volta?'.Divulgação

O Brasil ficou novamente fora da disputa por um Oscar. O longa brasileiro Que horas ela volta?, dirigido por Anna Muylaert e protagonizado pela atriz Regina Casé, não entrou na lista dos nove pré-candidatos que concorrem às cinco indicações de melhor filme estrangeiro na premiação de 2016. A cineasta comunicou aos fãs que o longa estava fora do páreo da disputa em seu Facebook. O único país da América Latina com um filme entre os nove pré-selecionados é a Colômbia, que tem despontado como a nova Argentina do cinema.

MAIS INFORMAÇÕES

Do total de 80 títulos que concorriam a uma indicação, passaram à fase seguinte: El abrazo de la serpiente (Colômbia), de Ciro Guerra; Krigen (Dinamarca), de Tobias Lindholm; Miekkailija (Finlândia) de Klaus Härö; Le tout nouveau testament (Bélgica), de Jaco Van Dormael; Cinco Graças (França), de Deniz Gamze Ergüven; Labirinto de Mentiras (Alemanha), de Giulio Ricciarelli; O Filho de Saul (Hungria) de László Nemesreland; Viva (Irlanda), de Paddy Breathnach; Theeb (Jordânia), de Naji Abu Nowar.

Os cinco títulos que, de fato, disputarão um Oscar de melhor filme estrangeiro serão eleitos entre os dias 8 e 10 de janeiro e anunciados em 14 de Janeiro, no Teatro Samuel Goldwyn de Bervely Hills.

Lançado no começo de 2015 no Festival de Sundance, Que Horas Ela Volta? foi bastante elogiado pela crítica ao contar com sensibilidade a história de Val, uma empregada doméstica que trabalha há tempos na casa de uma família em São Paulo, com a qual desenvolveu um vínculo emocional. Embora não tenha passado na peneira da Academia norte-americana, o longa foi um sucesso de público no Brasil e rendeu o prêmio de melhor atriz à Casé no Sundance, além do prêmio de público da mostra Panorama do Festival de Berlim, um dos mais importantes do mundo. O filme ainda concorre na categoria da Critic's Choice Awards, premiação dos críticos de cinema dos Estados Unidos e do Canadá. 

A última vez que o Brasil disputou a categoria de melhor longa de idioma estrangeiro foi com Central do Brasil, dirigido por Walter Salles e protagonizado por Fernanda Montenegro, de 1998.

Com informações das Agências.

Arquivado Em: