atentado em paris

Madonna canta nas ruas de Paris

Após show, ela foi à praça da República para homenagear as vítimas de atentados

Madonna durante o show improvisado em Paris.
Madonna durante o show improvisado em Paris.JULES MAHE (AFP)

Com um casaco com capuz de pelo que escondia parcialmente o seu rosto, e acompanhada do filho David e do seu guitarrista Monte Pittman. Assim Madonna se apresentou por volta de 1h da madrugada de quinta-feira (22h de quarta em Brasília) na praça da República de Paris, símbolo da liberdade e local onde se concentram as homenagens às vítimas dos atentados terroristas de 13 de novembro. A cantora norte-americana interpretou várias canções junto dos transeuntes, que gravavam a cena atônitos e a acompanharam entoando clássicos como Like a Prayer, enquanto a aclamavam com gritos como “você é a rainha, nós te amamos!”. Ela havia convocado os fãs poucos minutos antes, usando uma foto no Instagram. “Vejo vocês lá. Agora mesmo, depois do show”, anunciava, numa iniciativa inédita em sua carreira, após concluir a primeira das duas apresentações no ginásio de Bercy. Um show marcado pela homenagem e lembrança às vítimas do ataque jihadista, no qual Madonna chegou a cantar acompanhada do seu filho, fez um discurso pela paz e terminou entoando A Marselhesa [hino francês] em um coro com os 18.000 espectadores.

Pela mensagem da turnê The Rebel Heart, centrada no amor, e pelos discursos que Madonna tem feito a cada show desde os atentados de Paris, já se antevia que o encontro com seus fãs na capital francesa seria especial. Na noite de quarta, no ginásio, Madonna dirigiu-se ao público com uma conclamação aos gritos: “Não cederemos ao medo!”. Em seguida, ofereceu a primeira surpresa da noite. Seu filho David, de 9 anos, uma das duas crianças que ela adotou no Malaui, subiu ao palco em forma de coração carregando um violão. O pequeno começou a cantar Redemption Song, de Bob Marley, a quem Madonna apresentou como um dos “grandes lutadores pela liberdade”, antes de se unir ao filho na interpretação. Depois de ela chamar o estilista Jean Paul Gaultier, seu amigo, para dançar no palco, chegou a hora de outro dos grandes momentos. Madonna, a cappella, interpretou A Marselhesa, hino nacional francês, acompanhada por todo o estádio. Uma imagem realmente emocionante.

Mas o show não acabou ao apagar das luzes. Do camarim, já com o casaco, Madonna postou nas redes sociais um selfie junto com o filho anunciando o minishow de rua. Uma vez na praça, quase à 1h, a primeira coisa que fez foi dizer que iria “cantar algumas canções sobre a paz, para difundir o amor e a alegria”. Madonna escolheu o tema do seu último álbum, Ghosttown, que fala sobre o amor em tempos de guerra, e seu clássico Like a Prayer. Por último, entoou Imagine, de John Lennon, cujo assassinato completou 35 anos na véspera. Os presentes, apenas cerca de 50 pessoas, gravaram a cena com seus celulares, mas Madonna foi embora antes que centenas de fãs aparecessem e houvesse um tumulto. Seu guitarrista Monte Pittman ficou por lá e tocou violão junto com os fãs que permaneceram concentrados durante quase uma hora, cantando as canções da diva. Na noite desta quinta, Madonna faz outro show em Paris, e seus fãs estão ansiosos pelo que pode acontecer.

Arquivado Em: