Latam, novo nome da TAM e LAN para turbinar presença global

Adoção de uma marca única acontece três anos após a fusão das duas empresas

Claudia Sender, presidente da TAM, durante anúncio.
Claudia Sender, presidente da TAM, durante anúncio.PAULO WHITAKER (Reuters)

Duas das maiores companhias aéreas da América Latina, a chilena LAN e a brasileira TAM vão trocar suas marcas pelo nome Latam a partir do ano que vem. A estratégia é uma forte aposta para a consolidação do grupo aéreo como o mais forte da região, três anos depois da fusão das duas empresas, que já formavam a holding Latam Airlines. A Latam vai mudar a imagem dos seus guichês de check-ins,  a pinturas de aviões e dos uniformes de forma gradual, ao longo de três anos, e contará com um investimento estimado em 40 milhões de dólares.

“A criação deste grupo de companhias aéreas é uma oportunidade para levar a América do Sul ao mundo e permitirá nos posicionarmos para poder operar em um cenário cada vez mais competitivo, produto da contínua consolidação do setor aéreo mundial”, explicou Enrique Cueto, vice-presidente executivo do Grupo LATAM Airlines. O anúncio da nova marca foi realizado nesta quinta-feira, em um evento em São Paulo.

Os sócios do grupo destacaram que deixar para trás as marcas TAM e LAN é um passo difícil e arriscado, no entanto, eles apostam que a unificação será essencial para a presença global da companhia. O presidente do conselho de administração, Maurício Amaro, ressaltou que foram mais de dois anos de discussão até  chegar a decisão do anúncio que era inevitável.

MAIS INFORMAÇÕES

Apesar da fusão, as empresas continuarão operando independentemente por questões de legislação, assim como seus programas de fidelidade, LANPass e TAM Fidelidade. Além disso, todos os executivos vão manter os seus cargos. A expectativa é que a integração dos sistema de compra e venda de passagens sejam finalizados no fim de 2016.

Os primeiros aviões com a nova logomarca, inspirada no mapa da América Latina - com as cores azul, coral e branco - devem começar a voar no primeiro semestre de 2016. O grupo Latam oferece atualmente 144 destinos em 26 países e possui cerca de 53 mil empregados. No ano passado, o grupo transportou mais de 70 milhões de passageiros.

Crise no setor

A fusão acontece em um momento que o mercado de aviação sofre os impactos da crise econômica brasileira. No fim de julho, a TAM anunciou um reajuste em suas operações no Brasil e decidiu cortar 10% de suas operações domésticas. A empresa citou a alta do dólar e da inflação como atenuantes que levaram a desaceleração do setor aéreo.

Na apresentação da nova marca, Cueto ressaltou a existência de problemas econômicos da região e, sobretudo, no Brasil. “As economias estão sofrendo fortemente. A desvalorização das moedas impacta o setor, mas apostamos na união. Estamos mais bem posicionados que nossa concorrência, o que nos permitirá continuar crescendo e investindo”, afirmou.

Arquivado Em: