Voo MH370

Restos de avião achados estão na área do voo MH370 da Malaysia Airlines

Austrália localizou peças no mar, que agora estão sob análise Malásia dá como certo que o aerofólio encontrado pertence ao Boeing 777

Austrália localiza restos de um avião.ATLAS

As autoridades australianas informaram nesta quinta-feira que os restos do avião encontrados numa ilha do oceano Índico se encontram entre as coordenadas em que os especialistas creem ter desaparecido o voo MH370 da Malaysia Airlines em março de 2014, quando fazia a rota entre Kuala Lumpur e Pequim, com 239 pessoas a bordo.

"No caso de ser identificado como partes do MH370, o achado estaria de acordo com as previsões de que o avião se encontra no oceano Índico”, informou num comunicado o vice-primeiro-ministro australiano, Warren Truss. A peça encontrada “está sendo examinada por especialistas para determinar sua origem", acrescentou Truss.

O fragmento do avião, de cerca de dois metros de comprimento, foi localizado na quarta-feira por empregados de uma associação local dedicada à limpeza no litoral da ilha Reunião, um departamento de ultramar francês perto de Madagascar.

MAIS INFORMAÇÕES

O ministro malaio do Transporte, Liow Tiong Lai, que está em Nova York em visita às Nações Unidas, anunciou a partida de uma equipe até a ilha para "verificar" os vestígios. "Os restos devem ser verificados antes que possamos confirmar se pertencem ao MH370. Por isso enviamos uma equipe para investigar o assunto e esperamos poder identificá-los tão rápido quanto possível”, afirmou num comunicado.

Por sua vez, o vice-ministro de Transporte da Malásia, Abdul Aziz Kaprawi, afirmou nesta quinta-feira ser “quase certo” que o fragmento encontrado pertence ao Boeing 777 desparecido.

Da parte da Malaysia Airlines, os porta-vozes consideram que é cedo demais para confirmar se o fragmento pertence ao voo MH370. "A respeito das notícias do descobrimento do aerofólio na ilha Reunião, a Malaysia Airlines coopera com as autoridades competentes para analisar sua procedência", informou a companhia aérea num comunicado.

Familiares chineses pedem cautela

Os familiares dos passageiros chineses do voo MH370 pediram nesta quinta-feira cautela em relação à suposta localização de destroços do avião e reclamaram por não terem sido informados do andamento da investigação por nenhum representante oficial.

"Não queremos ouvir outra vez que estão 99% seguros de que são destroços do avião desaparecido. Queremos que nos digam quando estiverem 100% seguros", dizem os familiares num comunicado publicado nesta quinta-feira pelo porta-voz Jiang Hui nas redes sociais chinesas.

Nessa mensagem, os familiares chineses se dizem em situação de "desinformação total” e que têm de se informar sobre os avanços da investigação pela imprensa.

Arquivado Em: