Seleccione Edição
Login

Homem abre fogo e mata duas pessoas em cinema da Louisiana

O atirador, de 58 anos, suicidou-se quando a polícia chegou ao local

Outras sete pessoas, entre crianças e idosos, ficaram feridas

Um homem abriu fogo na tarde desta quinta-feira em um cinema de Lafayette (Louisiana, Estados Unidos), matando duas pessoas e ferindo outras sete antes de suicidar-se. O fato ocorreu três dias depois do terceiro aniversário de outra matança semelhante em um cinema no Colorado, na qual um estudante de Neurociências matou 12 pessoas.

O atirador, branco de 58 anos e cuja identidade não foi divulgada pela polícia, se levantou na sala às escuras 20 minutos depois do começo do filme Descompensada no cinema Grand 16 e abriu fogo, segundo testemunhas citadas pela Reuters. “Não disse nada. Também não escutei ninguém gritar”, disse Katie Domingue ao jornal local Advertiser. Quando os policiais chegaram ao cinema, o homem se matou com sua pistola.

O cadáver do atirador continuava no local horas depois do ocorrido, enquanto a polícia revistava sua casa e um robô inspecionava seu carro, depois de os cachorros farejadores de explosivos assinalarem vários objetos suspeitos no veículo assim como em uma mochila no interior da sala.

A motivação do atirador é desconhecida. “Não sabemos se existe relação com as vítimas”, afirmou Jim Craft, chefe de polícia de Lafayette, um município de 120.000 habitantes. “O atirador está morto. Pode ser que nunca saibamos”, disse. Alguns dos feridos se encontram em estado grave. Ainda que os nomes das vítimas não tenham sido divulgados, existem desde adolescentes até pessoas de 60 anos, de acordo com as autoridades.

O ocorrido lembra a matança provocada em 2012 por James Holmes, de 27 anos, em um cinema do Colorado durante a exibição de Batman: O Cavaleiro das Trevas. Holmes, um brilhante estudante de Neurociências, foi declarado culpado em julho por várias acusações de assassinato em primeiro grau, que podem ser punidas com a pena de morte. A fase final do julgamento que decidirá a condenação começou na quarta-feira.

A BBC publicou na quinta-feira um fragmento de uma entrevista com o presidente dos EUA Barack Obama, na qual ele diz que a maior frustração de seu mandato foi não ter aprovado leis sobre porte de armas com mais “bom senso”. “Se verificamos os mortos norte-americanos por terrorismo desde o 11 de Setembro, são menos de 100. Se verificamos os mortos por violência com armas, são dezenas de milhares”, explica Obama na entrevista.

MAIS INFORMAÇÕES