Seleccione Edição
Login

Pela primeira vez, bailarina negra lidera American Ballet

Misty Copeland é a única afro-americana a ter um papel principal na instituição em 75 anos

Misty Copeland em ‘Romeu e Julieta’, no dia 15 de junho. Ampliar foto
Misty Copeland em ‘Romeu e Julieta’, no dia 15 de junho. AP

Pouco menos de uma semana depois de sua histórica estreia como protagonista em O Lago dos Cisnes, Misty Copeland se tonou a única bailarina principal negra nos 75 anos de história do American Ballet Theatre (ABT), anunciou a companhia em um comunicado.

A norte-americana Stella Abrera também passará de solista a primeira bailarina na maior companhia de balé nos Estados Unidos, que também engrossou suas fileiras com duas novas contratações: a russa Maria Kochetkova, do San Francisco Ballet, e o dinamarquês Alban Lendorf , do Royal Danish Ballet. Além disso, entre a nova fornada de solistas está a argentina Luciana París, nascida em Buenos Aires, que estudou no Instituto Superior de Arte do Teatro Colón.

A ascensão de Copeland acontece depois de ela ter se tornado a primeira de sua raça a desempenhar o duplo papel de O Lago dos Cisnes na história do Metropolitan Opera de Nova York, e depois de ter experimentado uma campanha midiática com uma autobiografia, Life in Motion, e um documentário, A Ballerina’s Tale.

Nascida em Kansas City (Missouri), em 1982, e criada na Califórnia, Copeland tem sangue africano, alemão e italiano nas veias, o que clareia significativamente a cor de sua pele. Ela começou a dançar relativamente tarde, com 13 anos, formou-se na escola do San Francisco Ballet e tornou-se obcecada pela bailarina argentina Paloma Herrera, cuja aposentadoria nesta temporada, curiosamente, abriu espaço para Copeland no quadro de primeiras figuras.

Stella Abrera, por sua vez, nasceu em Pasadena (Califórnia) é solista do ABT desde 2001, onde participou de produções como Giselle e La Bayadère, enquanto Kochetkova, formada no Bolshoi, não vai deixar o San Francisco Ballet, conciliando as duas companhias durante a temporada 2015-2016.

Desde o ano passado, Kochetkova foi requisitada como bailarina convidada para o papel de Aurora em A Bela Adormecida, Kitri em Dom Quixote e Odette/Odile em O Lago dos Cisnes e formou um aclamado par com o argentino Herman Cornejo. Da mesma forma, Alban Lendorf, que entrou no Royal Danish Ballet em 2006, vai dividir sua agenda com ambas as companhias.

As quatro novas primeiras figuras do ABT suprem não apenas a aposentadoria de Herrera, mas também a da cubana Xiomara Reyes e da norte-americana Julie Kent, três membros fundamentais da armada feminina da companhia, pela qual passaram estrelas como Alicia Alonso, Mikhail Baryshnikov e Ángel Corella.

MAIS INFORMAÇÕES