O DESAFIO DA ATRIZ

Gwyneth Paltrow não consegue viver como pobre

Atriz não consegue cumprir desafio de gastar com comida 29 dólares em uma semana

Indicada pelo chef Mario Batali, a atriz e guru de estilo de vida Gwyneth Paltrow aceitou na segunda-feira o desafio de não gastar com comida mais de 29 dólares (pouco menos de 90 reais) durante uma semana. Na quinta-feira ela confirmou em seu site, Goop, que não conseguiu: “Como eu desconfiava, só conseguimos [a equipe do site participava] completar quatro dias, quando não aguentei e comprei um pouco de frango e verduras frescas (e, para ser completamente transparente, meio saquinho de alcaçuz)”.

Paltrow começa o texto dizendo que duvidava de si mesma desde o começo e que, por isso, tinha aceitado o desafio, mas já fazendo uma doação para o Banco de Alimentos de Nova York, que promove essa ação para conscientizar as pessoas sobre a dificuldade para viver com a atual cota de vales para comida oferecida pelo Governo às famílias norte-americanas com poucos recursos.

Desafio era uma ação para chamar a atenção sobre a dificuldade em viver com a cota de vales para comida oferecida pelo Governo dos EUA às famílias de baixa renda

A atriz, defensora de uma dieta ultrassaudável como forma de alcançar a felicidade, falhou em sua tentativa de se alimentar com menos dinheiro (“Daria a mim mesma uma nota baixa”, disse), mas garante que aprendeu com o processo. “Minha perspectiva mudou completamente a respeito de como é difícil conseguir comida saudável e nutritiva com esse orçamento, mesmo por apenas alguns dias – um desafio que 47 milhões de norte-americanos encaram a cada dia, a cada mês, a cada ano.”

Aproveita a ocasião para denunciar também a desigualdade salarial. “Desculpem-me por desviar do assunto principal, mas pedem o impossível a muitas mães trabalhadoras: alimentar suas famílias com um orçamento que só dá para comprar de empresas que vendem alimentos de baixa qualidade.” Ela vai em frente. “O sistema alimentar de nosso belo país precisa passar por uma forte revisão: é um problema cíclico, com consequências para todos. Não estou sugerindo que todo mundo coma alimentos orgânicos. Só estou dizendo que todo mundo deveria poder comprar comida de verdade, fresca. E se as mulheres recebessem salários iguais, as famílias teriam mais opções nos supermercados, para não dizer nos outros aspectos de suas vidas.”

Mais informações

Segundo informou na segunda-feira no Facebook, Paltrow gastou 24,4 dólares numa compra que incluía limão e abacate, “porque são muito baratos no Sul da Califórnia”. Além disso, “pontos importantes da semana foram os alimentos vegetarianos básicos, como o feijão preto e o arroz”, diz. “E conseguimos criar algumas receitas com esse orçamento superapertado.”

Ela e sua equipe do Goop criaram três receitas –taquitos [massa de milho] recheados com feijão preto; bolinhos de feijão preto com molho de milho e arroz negro; arroz integral com couve, batata-doce assada e ovos poché. As receitas estão no site.

A compra de Gwyneth Paltrow.
A compra de Gwyneth Paltrow.

Gwyneth Paltrow foi criticada nos últimos dias por alguns meios de comunicação norte-americanos, como a revista Time, que a acusou de fazer “turismo de pobreza” e pediu seu maior envolvimento com a mudança da lei, e o jornal The Washington Post, que disse que ela parecia mais preocupada em conseguir “uma boa foto no Instagram ou no Pinterest”.

Paltrow, alheia às críticas, embora já tivesse desistido do desafio quando foi na terça-feira ao jantar beneficente dos Beckham em Beverly Hills, termina o post da derrota em seu site pedindo doações para o Banco de Alimentos de Nova York, que pôs em movimento a iniciativa e que dá mais de 63 milhões de refeições grátis por ano.