BEM-ESTAR

9 dicas para aquecer a casa sem usar calefação

Enfrentar o frio sem gastar energia é possível com cobertores adequados e um fita isolante

MAIS INFORMAÇÕES

Talvez ao ler estas linhas você esteja fora de casa, contando as horas para voltar para lá e se proteger das baixas temperaturas, da chuva ou até mesmo da neve no calor do seu lar. Agora que o frio chegou em boa parte do Brasil, sabia que é possível combate-lo dentro de casa mesmo sem calefação, já que mesmo nos lugares mais frios do país as residências não possuem sistema de aquecimento.

“A casa, em si, não difunde calor, mas os eletrodomésticos que temos geram um aumento da temperatura que, embora seja diminuto na época de frio, pode ser aproveitado”, afirma Manuel Barrera Viera, presidente do Colégio Profissional de Ambientalistas de Andaluzia e especialista em energias renováveis, que acrescenta: “O segredo, no entanto, está na energia solar. É preciso fazer com que o calor de fora fique dentro e não saia. E, se não há nenhuma produção interna de calor, tudo irá depender da capacidade de isolamento que a casa tenha”. Se você não tem uma lareira nem um sistema de calefação (ou não quer usá-los), seguem alguns conselhos práticos para enfrentar o frio.

1. Ventile, mas com moderação

Bastam cinco minutos para ventilar a casa completamente; dez, se suas janelas são pequenas. Não o faça em momentos muito frios e procure fazer quando houver sol. “De manhã, logo depois de acordar, é o melhor momento”, explica Barrera Viera.

2. Não subestime o sol

O ideal é que, no momento em que o sol esteja batendo na casa, todos as possíveis aberturas estejam fechadas, mas sem nenhum obstáculo, tal como persianas ou cortinas, que impeçam a entrada da luz. Não abra as janelas, pois, caso contrário, o calor que a casa acumulou pouco a pouco vai embora. Em contrapartida, quando o sol se põe, o processo deve ser o contrário: feche as cortinas e persianas para evitar que o calor derivado da radiação infravermelha (proveniente do sol) se dissipe. A ordem do método não depende necessariamente de ser de manhã ou de tarde: pode ser que um determinado cômodo não receba nenhuma luz pela manhã, mas sim à tarde, quando então se deve aproveitar a presença do sol.

3. Escolha bem sua árvore

Dentro de suas possibilidades, certifique-se de que nenhum tipo de vegetação impeça que os raios de sol entrem por sua janela. Se for árvore de folha perene, como a laranjeira ou o pinheiro, pode-a para evitar o bloqueio da luz. Rafael Salmerón, diretor da empresa de jardinagem Los Peñotes, em Madri, diz: “As plantas trepadeiras também são isolantes”, diz Salmerón.

4. Fita isolante, uma aliada

Um remédio econômico que pode ser encontrado em qualquer loja de material de construção é a fita isolante, usada para tampar as frestas existentes em portas, janelas e outros lugares, com a finalidade de evitar a circulação de ar de um cômodo mais quente para um mais frio. “Assim se corta a sensação típica de uma corrente de ar que entra não se sabe por onde e que é muito mais comum do que pensamos”, afirma o presidente do Colégio Profissional de Ambientalistas da Andaluzia.

5. Secador de cabelo ou bolsa de água quente

Chegou a hora de ir para o calor da cama. Mas o colchão e o cobertor vão demorar alguns minutos antes de preservar o calor de seu corpo. Para evitar o choque com os lençóis gelados, você pode pré-aquecer a cama com o ar de um secador de cabelo ou colocando uma bolsa de água quente entre o colchão e o cobertor. E deitar sem receio.

6. As cores, questão de estação

Notou alguma vez mais calor que o comum ao usar uma blusa preta sob a luz do sol? Isso se deve a que as cores e a temperatura estão relacionadas: quanto mais escuro for um objeto, mais calor absorve, como corrobora um estudo da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no Estado de São Paulo, segundo o qual a cor preta capta 98% do calor que chega até ela, seguida do cinza (90%) e verde escuro (79%). Evidentemente, esta premissa também se aplica ao aposento. Isso se deve a que as cores brancas ou claras absorvem o calor do sol, mas devolvem o espectro de luz, de modo que filtram pouca energia. Arranjar uma poltrona escura para as hostis tardes de inverno não é má ideia.

7. Tapetes mágicos

“O chão é o elemento construtivo que possui maior perda energética. No inverno está a uma temperatura média de 10 a 12 graus, enquanto no verão chega a 14 ou 16”, diz Barrera Viera, que recomenda o uso de soluções têxteis, como os tapetes, pois, sem serem isolantes, conservam as altas temperaturas. Contudo, o piso ideal para combater o frio é o assoalho de madeira ou o carpete, mais confortáveis e quentes que os pavimentos de mármore.

8. Uma bicicleta sem uso em casa?

Praticar esportes é muito bom para a circulação. No inverno, o frio é mais agudo para as pessoas com má circulação sanguínea, por isso a prática esportiva ajuda a melhorar seu estado. “Não pedimos a uma pessoa idosa que desande a correr, mas, sim, que se mexa o máximo possível, de modo que o frio seja mais suave”, enfatiza o especialista em energias renováveis. “O exercício produz calor porque o corpo consome energia metabólica e esta o transforma em um incremento da temperatura corporal, registrada pelo hipotálamo para começar a sudorese”, diz Ángel Luis García Villalón, catedrático de Fisiologia da Universidade Autônoma de Madri. Na prática de esportes, as artérias dos músculos se dilatam para aumentar o aporte de sangue. No entanto, essa atividade tem de ser, no mínimo, de intensidade intermediária, como explica o docente: “Caminhar não produz um aumento da temperatura, mas isso acontece quando se corre ou se anda de bicicleta, ainda que seja estática”.

9. Um item indispensável: o cobertor

Há algo mais clássico no inverno que os dias de filme e cobertor? Com o frio ameno ter uma manta enquanto se lê ou se vê televisão ajuda no conforto térmico, especialmente as de peles de animais porque, segundo García Villalón, “são isolantes mais eficazes”. Felizmente, existem outras alternativas muito eficientes, como a lã, capaz de, em condições de frio e umidade, gerar calor em razão do isolamento térmico que proporciona e também por suas propriedades de absorção de até 30% do próprio peso em vapor de água, sem que transmita sensação de umidade, de acordo com um estudo publicado em 2009 pelo Site Argentino de Produção Animal. Outras opções são a manta polar e a flanela, compostos de poliéster e algodão ou fibras sintéticas, respectivamente. Você pode aproveitar para acender algumas velas com a finalidade de criar um ambiente mais quente, mas é preciso que saiba que seu uso não contribui para incrementar a temperatura do lugar (a não ser que as coloque perto de seu corpo, com o risco de queimadura). O filme você escolhe.

Arquivado Em: