Balsa italiana com 466 pessoas a bordo é evacuada em alto mar

O resgate do barco, que sofreu um incêndio, é dificultado pelo mau tempo

Una imagem da balsa incendiada.
Una imagem da balsa incendiada.Protohema

Uma balsa com 466 passageiros a bordo que viajava entre a cidade grega de Patras e Ancona (Itália) sofreu um incêndio na madrugada de domingo quando estava a 45 milhas náuticas a noroeste da cidade de Corfú. Uma operação de resgate foi iniciada para evacuar os passageiros e tripulantes que estavam a bordo do Norman Atlantic, com bandeira italiana. Embora o incêndio esteja controlado, o fogo persiste e a balsa ainda está à deriva. A tempestade no mar Adriático, com ondas de até sete metros, dificulta o acesso à balsa. Fora de controle, a força do mar empurra a embarcação em chamas em direção à costa da Albânia, segundo informações das autoridades da equipe de resgate.

Às 13h30 na hora local, haviam sido resgatadas 111 pessoas, informaram autoridades gregas à France Presse. Os primeiros 40 passageiros a sair do barco foram levados ao navio de carga grego Spirito del Pireo, uma das primeiras embarcações privadas que responderam ao pedido de ajuda do capitão da balsa, que permanece a bordo. A mídia grega também mostra imagens de resgates efetuados com helicópteros, um meio que nas últimas horas parece ser o único para chegar os náufragos. Os primeiros resgatados via aérea foram 30 crianças, levadas com sintomas de hipotermia à base aérea de Galatina, em Puglia.

Roma está coordenando a operação de resgate da balsa, na qual participam também embarcações privadas, helicópteros da guarda costeira, um rebocador italiano e dois aviões da Força Aérea grega. Autoridades marítimas albanesas também fazem parte do resgate.

Os passageiros da barca são na maioria gregos (268). Também há turcos (54), italianos (44), albaneses (22), alemães (18), suíços (10) e franceses (nove); além de russos, austríacos, britânicos e holandeses.

O Norman Atlantic partiu à meia-noite de Igoumenitsa (Grécia) ao porto italiano de Ancona com 466 passageiros a bordo, 55 membros da tripulação (22 italianos e 34 gregos), além de 222 veículos. Tudo indica que o incêndio começou na garagem, por volta das 4h30 da madrugada. Quando o capitão deu ordem para evacuar a balsa, aparentemente apenas 170 pessoas encontraram espaço nos botes salva-vidas. Embora as informações sejam contraditórias, alguns depoimentos à imprensa italiana indicam que o incêndio teria cortado o sistema elétrico que permite lançar todos os botes ao mar. Também há relatos de botes salva-vidas em chamas. Em um primeiro momento, alguns passageiros, tomados pelo pânico, se jogaram ao mar.

O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, enviou mensagens no Twitter esta manhã sobre a tragédia para tranquilizar os cidadãos. O Papa Francisco afirmou neste domingo, durante o Angelus, que rezaria pelos passageiros da balsa, devido ao acidente no mar Adriático. Não foi o único. O mau tempo e a falta de visibilidade parecem ter sido a causa de uma colisão nesta manhã de dois navios mercantes --Gokbel e Lady Aziza— em frente ao porto italiano de Ravenna. A primeira, de bandeira turca, afundou. Dos 11 membros da tripulação, 11 continuam desaparecidos. Há pelo menos uma pessoa morta.