Polícia dos EUA mata menino que brincava com revólver de brinquedo

Agente disparou no menor em Cleveland. Comandante diz que ato foi uma tragédia

Policiais na região onde menino de 12 anos foi morto a tiros.
Policiais na região onde menino de 12 anos foi morto a tiros.Cory Schaffer (AP)

Um erro policial custou a vida de um menino de 12 anos na cidade de Cleveland, no estado de Ohio, nos Estados Unidos, no último fim de semana. A criança morreu devido aos tiros de um policial que confundiu o revólver de brinquedo que portava com uma arma de fogo real, segundo confirmaram as autoridades locais.

O fato ocorreu no sábado em um parque de Cleveland. Os dois oficiais foram até lá depois que um telefonema alertou que uma pessoa estava exibindo uma arma de fogo, segundo um comunicado do Departamento de Polícia local.

A tragédia ocorre no momento em que o país aguarda o julgamento que decide o destino do policial que matou um jovem em Ferguson

Os policiais mandaram o menino levantar os braços, mas ele baixou uma mão até a cintura para pegar a suposta pistola, afirma o comunicado policial. “A arma estava em sua cintura. Ele sacou a pistola. Um dos agentes disparou duas vezes, atingindo o jovem”, declarou o inspetor adjunto da polícia de Cleveland, Ed Tomba, a uma rede local.

Ao recuperar a arma, os policiais comprovaram que se tratava de uma réplica de ar comprimido de uma semiautomática. Tomba qualificou o fato de “muito trágico”.

A vítima, um menino afro-americano chamado Tamir Rice, morreu no domingo devido aos ferimentos recebidos no peito. Sua mãe, Samaria Rice, contratou um advogado para denunciar a morte do filho.

MAIS INFORMAÇÕES

Segundo informa a mídia norte-americana, o cidadão que avisou sobre a presença do menor no parque afirmou não ter certeza de que se tratasse de uma arma de verdade. Os agentes envolvidos no caso estão em baixa administrativa. Um eles tem menos de um ano de experiência e o segundo está há dez anos na polícia, informaram fontes sindicais.

A morte de Rice ocorre no momento em que o país está atento para o julgamento que decide se condena ou não o policial branco de 28 anos que matou um afro-americano de 18 anos desarmado em Ferguson, subúrbio de Saint Louis, em agosto passado. O fato desencadeou um dos maiores protestos raciais dos Estados Unidos nas últimas décadas.

O caso do menor de Cleveland se soma, além disso, a um novo erro policial em Nova York, onde na quinta-feira passada um homem negro desarmado morreu baleado por um policial. “Foi um acidente, um trágico acidente”, afirmou o comissário chefe da polícia da cidade, William Bratton.

Arquivado Em: