Guiné Equatorial será a sede da Copa da África 2015

Substituirá o Marrocos, desclassificado pela Confederação Africana de Futebol (CAF) Os marroquinos tinham solicitado o adiamento do torneio por causa da epidemia de ebola

Emenike, da Nigéria, levanta o troféu na última Copa da África.
Emenike, da Nigéria, levanta o troféu na última Copa da África.Armando Franca (AP)

A Guiné Equatorial será a sede da 30ª edição da Copa da África, que acontecerá entre os dias 17 de janeiro e 8 de fevereiro. O anúncio foi feito nesta sexta-feira pela Confederação Africana de Futebol (CAF), que, na última terça-feira, anunciou a desclassificação do Marrocos, o país que sediaria o torneio. No entanto, a epidemia de ebola que atinge alguns países africanos fez com que este pedisse um adiamento de um ano do torneio. Os 16 membros da executiva da CAF não só rejeitaram o pedido, como também decidiram desclassificar o Marrocos.

Mais informações
Cuba se empenha na luta contra o ebola nos países da África
Mais de 20% dos contágios de ebola acontecem nos ritos funerários
“Somos africanos, não um vírus”

O Governo e os dirigentes futebolísticos do Marrocos afirmam que organizar o torneio significa um perigo para seus cidadãos e para os visitantes previstos, que são calculados ao redor de um milhão. E mostram, em sua defesa, os últimos relatórios da Organização Mundial de Saúde, segundo os quais a doença ceifou a vida de mais de 4.700 pessoas e segue pondo em risco várias nações.

A CAF, no entanto, também se baseou no fato de que a própria OMS, apesar de tudo, não recomenda a suspensão de nenhuma competição esportiva para defender que o campeonato deve ser realizado como estava previsto.

“O Chefe de Estado e presidente da República da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, recebeu nesta sexta-feira o presidente da CAF, Issa Hayatou, para tratar da possibilidade de que a Guiné Equatorial seja a sede da Copa da África de 2015. Por causa da conversa fraternal e frutífera, Obiang aprovou a organização da competição”, indicou a CAF em um comunicado.

O organismo confirmou que o torneio será disputado “nas datas fixadas”, de 17 de janeiro a 8 de fevereiro, e que a seleção da Guiné Equatorial “se classificou como anfitriã”, apesar de ter sido desclassificada por ter escalado um jogador vetado nas eliminatórias.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS