Seleccione Edição
Login

Um tremor de magnitude 6.8 afeta seis regiões do Peru

O abalo sísmico, de grande profundidade com epicentro no Ayacucho, destruiu casas no sul do país

Um terremoto de 6.8 na escala Richter afetou a população de seis regiões do Peru, e teve seu epicentro em Cora Cora, região do Ayacucho, na serra sul do país, onde algumas casas de material rústico sofreram danos, disse o chefe do Instituto Nacional de Defesa Civil (Indeci), Alfredo Murgueytio.

O abalo foi registrado às 18h21 deste domingo (20h21 no horário de Brasília) a 108 quilômetros de profundidade, segundo o Instituto Geofísico do Peru (IGP). O geólogo Patricio Valderrama explicou no Twitter que, como o movimento foi tão profundo, não devem ocorrer muitos danos, e isso explica também o fato de o tremor ter sido sentido em tantas regiões ao mesmo tempo.

O comandante do Corpo Geral de Bombeiros do Peru, Mario Casaretto, contou à emissora Radioprogramas que esteve em contato com as regiões Ayacucho, Cusco, Arequipa, Ica, Junín, Huancavelica e Lima, onde o tremor foi sentido, e que levou um susto e fiou preocupado. O fato ocorreu quase 24 horas após um abalo similar (de 6.4 Richter) ocorrido no Chile.

O terremoto do dia 15 de agosto de 2007 com epicentro em Pisco, costa sul, causou a destruição de 76.000 casas e, apesar do tempo passado, ainda há imóveis que não foram reconstruídos.

Nos minutos seguintes ao abalo, a primeiro-ministra Ana Jara e o comandante Casaretto anunciaram que não havia comunicação telefônica com Cora Cora, epicentro do tremor. No entanto, uma hora depois, o chefe da Defesa Civil conseguiu contato. Murgueytio disse que imóveis nas províncias de Lucanas e Parinacochas, cuja capital é Cora Cora, sofreram danos, mas não chegaram a desabar ou ficar inabitáveis.

Lucanas e Parinacochas são as províncias mais pobres da região de Ayacucho, com construções de barro e palha (uma grade de varas recobertas com barro). No terremoto de 2007, Cora Cora foi uma das províncias mais afetadas e a ajuda demorou a chegar, já que a região só é acessível vindo de Nasca, na região de Ica.

O tremor foi sentido também na costa, nos Andes e no sul: no vale dos rios Apurímac e Ene, e no Quillabamba, Cusco.

O Peru é afetado regularmente por movimentos das placas tectônicas, pois está localizado no Círculo de Fogo do Pacífico, por isso é comum que o Estado organize simulações de terremoto, obrigatórios, nas entidades públicas e privadas para melhorar a escassa cultura de prevenção de desastres. Depois do terremoto de 2007, quando morreram 500 pessoas, o Indeci indica que cada família tenha uma mochila de emergência, com alimentos não perecíveis, água, baterias e um rádio portátil. Essa prática, no entanto, não se popularizou.