ELEIÇÕES 2014

Os presidenciáveis se mantêm estáveis apesar da guerra de denúncias

Aécio Neves e Eduardo Campos crescem 1% cada um, e chances de segundo turno são maiores

O candidato do PSB ao Planalto, Eduardo Campos.
O candidato do PSB ao Planalto, Eduardo Campos.Eraldo Peres (AP)

A 12 dias do início do horário eleitoral gratuito, a presidenta Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), mantém a dianteira na corrida ao Palácio do Planalto. É o que mostra uma pesquisa do Instituto Ibope divulgada nesta quinta-feira. Segundo o levantamento, a petista possui 38% das intenções de voto, o mesmo resultado registrado em julho. De acordo com o instituto, tecnicamente ainda não é possível afirmar se haverá segundo turno ou se a presidenta Dilma terá mais votos do que todos os seus adversários somados.

Os principais candidatos oposicionistas oscilaram para cima dentro da margem de erro do levantamento, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O senador Aécio Neves, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), subiu de 22% para 23%. A pesquisa foi a primeira realizada pelo Ibope após a guerra de denúncias na imprensa sobre a atuação dos dois principais presidenciáveis: Aécio teria construído um aeroporto público em terras de familiares, quando ocupou o governo de Minas Gerais (2002 a 2010), e a Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras, que começou em maio deste ano, teria sido preparada com perguntas recebidas previamente pelos parlamentares. Reportagem da revista Veja do último final de semana mostrava que este seria um recurso para não atingir a candidata petista, que era presidenta do Conselho de Administração da estatal quando a compra da refinaria Pasadena, objeto da CPI, foi aprovada.

MAIS INFORMAÇÕES

Na terceira posição, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), cresceu 1% e agora conta com 9% dos votos à presidência. Com 3%, o Pastor Everaldo, do Partido Social Cristão (PSC), mantém-se na quarta posição. Já os outros presidenciáveis juntos somam 3%. Tudo continua como antes, apenas com a redução do número de entrevistados que declararam votar branco ou nulo. No levantamento divulgado pelo instituto em 22 de julho, o número de pessoas que preferia invalidar seu voto era de 16%. Agora, são 13%. O total de indecisos passou de 9% para 11%.

Em um segundo turno, Rousseff venceria em todos os cenários. Contra Aécio Neves, a petista teria 42% dos votos, contra 36% do tucano. Uma vantagem de seis pontos, porém 2% menor do que a registrada em julho. Em uma disputa com Eduardo Campos, ela obteria 44% dos votos contra 32% -a mesma vantagem de 12% registrada no mês anterior.

O levantamento, encomendando pela Rede Globo e registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-00308/2014, consultou 2.506 pessoas entre o domingo 3 e esta quinta-feira.