Uma égua da rainha Elizabeth tem resultado positivo em exame antidoping

‘Estimate’, vencedora do Gold Cup de Ascot, correu sob efeito de morfina

A rainha Elizabeth com ‘Estimate’, vencedora do Gold Cup em 2013.
A rainha Elizabeth com ‘Estimate’, vencedora do Gold Cup em 2013. (AFP)

As drogas são uma tentação da qual nem os cavalos dos estábulos reais estão a salvo. Estimate, a égua que em 2013 venceu o famoso Gold Cup, importante competição realizada todo verão no hipódromo de Ascot, e ficou em segundo lugar na edição deste ano, foi reprovada no exame antidoping. A notícia, anunciada por um porta-voz do Palácio de Buckingham, certamente despertou a fúria de Elizabeth II. A rainha é proprietária da égua em cujo sangue foram encontrados traços de morfina.

A notícia manchou a reputação do haras da rainha, um dos maiores no Reino Unido e na Europa. Seus cavalos são grandes vencedores do calendário hípico anual. Existe uma verdadeira veneração por esses espécimes e sua trajetória imaculada, como tudo o que rodeia sua proprietária. Quando um deles está ganhando uma corrida, os espectadores britânicos costumam inclinar a cabeça em sinal de respeito e felicitações a Elizabeth II.

Como explicou a British Horseracing Authority (BHA), dedicada ao controle dos cavalos de corrida que competem no Reino Unido, as análises feitas em Estimate depois de participar de Ascot este ano deram positivo para morfina, uma substância que não aumenta a potência do cavalo, mas cujo uso é proibido por eliminar qualquer dor que o animal poderia sentir, favorecendo assim o seu rendimento. Mas Estimate não foi a única com resultado positivo. Outros quatro cavalos foram pegos com a mesma substância em seu organismo.

John Warren, o assessor da rainha para assuntos relativos aos cavalos de corrida, atuou como porta-voz e falou sobre o incidente: “Em princípio, parece que a morfina se deve ao consumo de ração contaminada. Sir Michael Stoute [treinador do haras da rainha] está trabalhando com a empresa alimentícia para descobrir como o produto poderia ter sido contaminado antes de chegar aos estábulos e está prestando total cooperação”. A nota divulgada pelo palácio também afirma que está sendo estudada uma possível conexão entre os resultados positivos de todos os animais pegos no exame antidoping.

O prestigiado treinador e veterinário Jim Boyle deu sua opinião em declarações à BBC: “Em 99% dos casos, um resultado positivo se deve à contaminação dos alimentos. A morfina é liberada pelas sementes de papoula. Estudos apontam que amostras de urina colhidas até 24 horas após a ingestão de um bagel ou uma torta com essas sementes podem dar positivo para morfina”.

Após a vitória de Estimate no ano passado em Ascot, Elizabeth II foi fotografada com um sorriso espetacular, algo incomum nela, uma mulher de 88 anos pouco dada à expressividade. O segundo lugar que Estimate ganhou no Gold Cup deste ano também foi motivo de orgulho para a rainha, que estava no camarote real. Se a investigação confirmar que houve doping para melhorar o rendimento, a égua real perderá o prêmio deste ano.

Arquivado Em: