Encontrados os cadáveres de 53 homens assassinados a sangue frio no Iraque

Os corpos estavam em uma horta em Hilla, fora da área de combates com os jihadistas

Familiares de soldados iraquianos transportam seus restos mortais.
Familiares de soldados iraquianos transportam seus restos mortais. (REUTERS)

As forças de segurança do Iraque localizaram em Hilla (província de Babil, ao sul de Bagdá), os cadáveres de 53 homens assassinados a sangue frio. Os corpos, que foram encontrados em uma região de hortas da cidade, apresentavam disparos na cabeça ou no tórax, segundo informou a agência AFP, fontes policiais e um funcionário do necrotério.

As primeiras hipóteses apontam para o fato de os assassinatos terem sido perpetrados há pelo menos uma semana. Não há informações sobre os autores nem sobre os motivos do homicídio em massa.

A região na qual os corpos foram encontrados não foi afetada pelos ataques dos jihadistas, que já tinham atacado parcialmente a província. O norte de Babil se vê afetado pela violência sectária entre xiitas e sunitas desde 2006.

O Estado Islâmico do Iraque e Levante (EIIL) reivindicou a autoria de milhares de assassinatos das forças de segurança iraquianas. A conta que os jihadistas apresentam chegava em meados de junho a 1.700 pessoas “executadas”, em sua imensa maioria militares e membros das forças de segurança do Iraque.

A ONG Human Rights Watch (HRW) anunciou há dez dias que os jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e Levante (EIIL) mataram entre 160 e 190 homens em dois locais de Tikrit, a 180 quilômetros de Bagdá. A ONG norte-americana confirmou a notícia depois de analisar em detalhes as fotografias que o próprio grupo terrorista, que há três semanas avança para o sul do país, divulgou pelas redes sociais.

MAIS INFORMAÇÕES

Arquivado Em: