Os rebeldes pró-russos ocupam o aeroporto internacional de Donetsk

Dezenas de milicianos armados com fuzis invadiram o aeródromo, que foi evacuado e fechado

Um caminhão com milicianos a caminho do aeroporto de Donetsk.
Um caminhão com milicianos a caminho do aeroporto de Donetsk.REUTERS

Na primeira hora da manhã desta segunda-feira, dezenas de milicianos pró-russos armados com fuzis invadiram o aeroporto internacional Serguei Prokofiev de Donetsk, capital da autoproclamada República Popular homônima, e se fortaleceram no interior do edifício. O aeródromo foi evacuado e fechado e todos os voos cancelados para garantir a segurança, informou o porta-voz do mesmo, Dmitro Kosinov. “Há homens armados no interior do recinto, motivo de sobra para suprimir todas as atividades aeroportuárias”, disse Kosinov.

A estrada que leva ao aeroporto está bloqueada pela polícia, embora os três caminhões que transladavam os separatistas conseguiram passar. A pouco mais de um quilômetro em linha reta, os milicianos controlam os principais acessos a Donetsk desde o noroeste, mediante um fortificado ponto de controle na estrada nacional que conecta a capital provincial com Krasnoarmisk, principal ponto das tropas ucranianas no leste. Na sexta-feira, o avanço de um grupo de forças especiais ucranianas na altura de Karlovka, com pelo menos dois soldados mortos, foi contido. As marcas do combate eram bem visíveis nesta segunda-feira em um ponto de controle dessa localidade.

A ação dos pró-russos, que segundo fontes rebeldes pertencem ao Batalhão Vostok (leste), tem como objetivo pedir a retirada imediata de todas as tropas ucranianas da região. Em Donetsk e arredores não há presença do Exército nem da Guarda Nacional, apenas alguns controles de estrada nas mãos da polícia rodoviária. Os separatistas controlam boa parte da rodovia do noroeste e trechos da que vai de Donetsk a Mariupol.

O Serviço de Segurança Interior (SBU), que coordena a operação militar contra os pró-russos, declarou à noite que a ofensiva continuaria nesta segunda-feira depois da trégua de 24 horas durante a jornada eleitoral deste domingo.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete
O mais visto em ...Top 50