_
_
_
_
Festival de Cannes

Cate Blanchett ataca a desigualdade salarial entre homens e mulheres

A atriz, ganhadora de dois Oscar e mãe de três filhos, critica "toda a indústria" do cinema por manter essa tendência

Tu suscripción se está usando en otro dispositivo

¿Quieres añadir otro usuario a tu suscripción?

Si continúas leyendo en este dispositivo, no se podrá leer en el otro.

¿Por qué estás viendo esto?

Flecha

Tu suscripción se está usando en otro dispositivo y solo puedes acceder a EL PAÍS desde un dispositivo a la vez.

Si quieres compartir tu cuenta, cambia tu suscripción a la modalidad Premium, así podrás añadir otro usuario. Cada uno accederá con su propia cuenta de email, lo que os permitirá personalizar vuestra experiencia en EL PAÍS.

En el caso de no saber quién está usando tu cuenta, te recomendamos cambiar tu contraseña aquí.

Si decides continuar compartiendo tu cuenta, este mensaje se mostrará en tu dispositivo y en el de la otra persona que está usando tu cuenta de forma indefinida, afectando a tu experiencia de lectura. Puedes consultar aquí los términos y condiciones de la suscripción digital.

Cate Blanchett no festival de cinema de Cannes.
Cate Blanchett no festival de cinema de Cannes.Tony Barson (Getty Images)

A atriz australiana Cate Blanchett, ganhadora de dois Oscar e mãe de três filhos, lançou nesta sexta-feira uma advertência pela igualdade de gênero na indústria do cinema, direto da sala de conferências do Festival de Cannes, onde apresentou Como Treinar o seu Dragão 2, longa fora de competição na localidade francesa.

"Seguimos em um mundo em que se continua sem pagar o mesmo a homens e mulheres, e não entendo isso". "Não me refiro à Dreamworks, senão a toda a indústria", disse a intérprete de 45 anos, habituada a ter de falar sobre sua condição de artista de sucesso e mãe de três crianças.

"É uma pergunta que só é feita a mulheres", acrescentou a musa de Woody Allen, Alejandro González Iñárritu e Wes Anderson, que participou de quase 50 longas e se converteu em uma das profissionais mais aplaudidas do mundo do cinema. Blanchett, que dá voz nesse filme de animação a Valka, uma nova personagem para a tribo viking de Berk e seus dragões, sublinhou que "ainda é surpreendente que essas perguntas sejam feitas".

No entanto, a atriz não se mostrou contrariada absolutamente ante os meios de comunicação, senão abertamente amável, muito irônica e divertida. A primeira questão sobre seus filhos foi driblada com elegância (Você está me perguntando se ainda tenho uma carreira em Hollywood?") e abordou o assunto sobre as crianças e os Oscar com bom humor. "Todos os dias a mamãe senta em uma cadeira e as deixa acariciar durante quinze minutos a estatueta", caçoou.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_