Os reis da Espanha debatem o desemprego juvenil com o Papa

Francisco disse e ao rei Juan Carlos: "Você primeiro, nas procissões os coroinhas vão na frente"

atlas

À entrada da sala onde seriam trocados os presentes protocolares, o rei Juan Carlos quis ceder a passagem ao papa Francisco, ao que este, continuando com uma piada que traziam de antes, replicou: "Você primeiro, que já sabe que nas procissões os coroinhas vão na frente". Era o epílogo amistoso de uma reunião privada que durou 53 minutos -mais que o habitual-- e na qual os Reis da Espanha e Jorge Mario Bergoglio falaram, entre outras questões, da repercussão social do desemprego juvenil que afeta a Espanha.

Don Juan Carlos e dona Sofia, que já saudaram o papa argentino no domingo depois da cerimônia de canonização de João XXIII e João Paulo II, se reuniram com o pontífice a sós em um estúdio do pontífice adjacente à sala de aulas Paulo VI do Vaticano. Durante o encontro, segundo a Casa del Rey e o escritório de imprensa do Vaticano, repassaram juntos a situação política internacional, com especial atenção à crise da Ucrânia, as boas relações entre ambos Estados e a possibilidade de que o Papa visite a Espanha em 2015, coincidindo com o 500º aniversário do nascimento de Santa Teresa de Jesus.

De fato, os Reis presentearam Bergoglio com um livro com a obra mística da santa de Ávila e outro de San Juan de la Cruz. Francisco, por sua vez, presenteou aos monarcas uma medalha de bronze que representa o projeto original da basílica e a praça de San Pedro e a exortação apostólica Evangelii Gaudium. Antes de se encontrarem com o Papa, os Reis estiveram reunidos por meia hora com o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin. O ministro de Assuntos Exteriores, José Manuel García Margallo, também esteve nesta reunião.

Arquivado Em: