O Papa pede que se permita a chegada de ajuda humanitária na Síria

Francisco refere-se aos conflitos armados em sua primeira mensagem de Natal

O Papa Francisco no balcão da Basílica de São Pedro.
O Papa Francisco no balcão da Basílica de São Pedro.OSSERVATORE ROMANO

O Papa Francisco utilizou sua primeira mensagem de Natal para colocar o foco nos conflitos armados do mundo. O Pontífice rogou que se permita o acesso de ajuda humanitária a Síria: "Sigamos rezando ao Senhor para que o amado povo sírio se veja livre de mais sofrimentos e que as partes em conflito ponham fim à violência e garantam o acesso à ajuda humanitária", assegurou diante de uma Praça de São Pedro abarrotada de fiéis.

O Pontífice mencionou também as catástrofes e as vítimas mais vulneráveis. "A verdadeira paz não é um equilíbrio de forças opostas. Não é pura fachada, que esconde lutas e divisões. A paz é um compromisso cotidiano", explicou.

Deste modo, começou lembrando as vítimas mais vulneráveis dos conflitos armados, as crianças, mas também os idosos, as mulheres maltratadas e os doentes.

Francisco fixou-se em primeiro lugar no conflito na Síria e pediu para que se "reze ao Senhor para que cesse o sofrimento ao povo sírio", para que se garanta a ajuda humanitária e se ponha fim à guerra. "Estou contente de que hoje se unam na oração pela paz na Síria crentes das diferentes religiões" acrescentou.

O Papa também lembrou o conflito na República Centro-Africana, "com frequência esquecida pelos homens, mas da qual o Senhor não se esquece"; as tensões no Sudão do Sul, "para que se chegue ao acordo"; a violência na Nigéria; "a terra onde o Senhor escolheu vir ao mundo", o Oriente Médio, para o qual pediu que se prosperem as negociações; e também o Iraque, afetado por tantos atentados.

"Senhor, proteja os que sofrem por causa de teu nome", acrescentou o Pontífice, em alusão aos cristãos perseguidos. Também referiu-se aos refugiados, em especial, os da República Democrática do Congo.

Lampedusa: "Que não volte a acontecer nunca"

Além disso, Francisco tem relembrado sua viagem a Lampedusa depois da tragédia que matou centenas de imigrantes. "Que não volte a acontecer nunca", tem afirmado, ao lembrar de todos os imigrantes que buscam uma vida melhor.

E, ainda, pediu a Jesus que "toque o coração" dos que estão envolvidos no tráfico de seres humanos e que "dirija seu olhar" às crianças afetadas pelos conflitos armados, e concretamente, às crianças soldados.

Ao finalizar a mensagem, o Papa Francisco deu a bênção Urbi et Orbi. Posteriormente, felicitou de novo o Natal de todos os presentes. Neste momento, falou exclusivamente em italiano, ao contrário do que seus predecessores costumavam fazer, em múltiplos idiomas. O Pontífice desejou alegria e paz para todas as crianças, idosos, jovens, pobres e marginalizados, bem como que Jesus console os doentes de seus sofrimentos e sustente aos que ajudam os mais necessitados.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS