Woody Allen responde à série documental da HBO: “Está repleta de falsidades”

‘Allen Versus Farrow’ retoma as acusações de abuso sexual contra o cineasta do ponto de vista da família Farrow

Woody Allen e sua mulher, Soon-Yi Previn, passeiam por Nova York, em 2016
Woody Allen e sua mulher, Soon-Yi Previn, passeiam por Nova York, em 2016James Devaney (GC Images)
Mais informações

Um porta-voz de Woody Allen e de sua esposa, Soon-Yi Previn, distribuiu nesta terça-feira um comunicado em resposta à série documental Allen Versus Farrow, da HBO, que retoma as denúncias de abuso sexual do cineasta contra sua filha adotiva Dylan. A série, de quatro capítulos, repassa as acusações – das quais Allen foi depois inocentado – pelo ponto de vista da família da atriz Mia Farrow, ex-mulher do cineasta, além de expor em primeira pessoa a história da filha de ambos, Dylan, mas sem oferecer uma réplica do acusado. “Estes documentaristas [os diretores Amy Ziering e Kirby Dick] não têm interesse na verdade. Por outro lado, passaram anos colaborando de maneira sub-reptícia com os Farrow e seus auxiliares e elaboraram um trabalho crítico repleto de falsidades”, diz o comunicado.

A série estreou no domingo. Segundo o porta-voz, Allen e Soon-Yi foram procurados há menos de dois meses para responderem às acusações se quisessem. “Deram-lhes poucos dias para isso. Naturalmente, declinaram”, informa a nota. “Como se sabe há décadas, estas acusações são categoricamente falsas. Foram investigadas por diversos órgãos em algum momento, e eles concluíram que, independentemente do que tenha dito Dylan Farrow, nenhum abuso aconteceu. É triste, embora nada surpreendente, que o canal seja a HBO, que tem um contrato com Ronan Farrow [filho de Allen e Farrow e um dos jornalistas que revelaram os escândalos de abusos do produtor Harvey Weinstein]. Embora esta crítica chame a atenção, não altera os fatos”, finaliza o texto divulgado. Ronan Farrow fala no documentário como filho do casal que dá título à série, mas não atua como produtor da obra – embora tenha no passado produzido outros programas da HBO.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

Allen e Farrow formaram um casal durante 12 anos (período em que fizeram juntos o mesmo número de filmes). Embora não morassem na mesma casa nem tenham se casado no papel, adotaram juntos duas crianças, Dylan e Moses, que já eram filhos adotivos de Farrow. O casal também teve um filho biológico (Ronan). Moses recentemente publicou uma extensa carta mencionando dificuldades no trato com sua mãe. Em 1992, Farrow descobriu que Allen tinha uma relação com outra filha adotiva sua, Soon-Yi Previn, e naquele mesmo ano a atriz acusou o ex-parceiro de ter abusado de Dylan, então com 7 anos. Uma guerra começou, com várias investigações no meio e duas sentenças absolvendo Allen. O cineasta sempre se defendeu alegando que Dylan foi condicionada por sua mãe para fazer essas alegações depois de conhecer sua relação com Previn (a quem Allen nunca havia adotado, e com quem está casado desde 1997).

O documentário usa trechos da versão em áudio de uma recente autobiografia de Woody Allen, lançada no Brasil pela Globo Livros. A editora norte-americana Skyhorse Publishing alertou na segunda-feira que a HBO usou esses trechos, lidos pelo próprio Allen, sem autorização. “O primeiro episódio de Allen Versus Farrow usa sem permissão mais de três minutos da nossa edição de audiolivro de Apropos of Nothing [seu título original]. Entendemos que os demais episódios [ainda não exibidos] usam o audiolivro sem autorização de forma similar. Esta evidente apropriação da propriedade intelectual do senhor Allen é um incontestável descumprimento dos direitos autorais”, afirma a editora em nota.

Faça seu login para seguir lendo

Saiba que já pode ler este artigo, é grátis

Obrigado por ler o EL PAÍS

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: